sábado, 14 de maio de 2011

Principais Espécies de Roedores Urbanos/Biologia e Controle.


Ratos, ratazanas e camundongos adaptaram-se muito bem à maneira de viver do homem, tornando- se uma praga de grande relevância. Um casal de ratos na idade de seis à sete meses, já produziu uma média de quarenta novos indivíduos, levando-se em consideração fatores limitantes como alimento disponível e doenças.


A visão do rato é ruim além de ser daltônico, mas em compensação possui os outros sentidos muito desenvolvidos. As perdas econômicas causadas pelos roedores é de grande relevância nas lavouras, na armazenagem de grãos onde a sua ação é devastadora, nas indústrias de transformação de alimento, em locais de confinamento de animais etc. Além de causarem danos, transmitem doenças aos animais e ao homem.


- São responsáveis pela perda de 30% da produção nacional de grãos e 4% da produção mundial.


- A cada 3 dias há registro em hospitais e postos médicos de 1 pessoa com lesões por roedura de ratos.


- O Brasil possui o maior número de espécies e subespécies de roedores na fauna silvestre.


- A Suíça mantém 0,5 rato per capita, os EUA 2, enquanto no Brasil, nos grandes centros urbanos, existem 15 ratos/habitante, sendo a média nacional de 8.


- O rato tem existência paralela à civilização de um povo, na Suíça a média de vida de um rato é de 6 meses, já no Brasil ele vive até 2 anos.

- Se acasalarmos 1 casal de ratos em janeiro, em dezembro teremos 180 mil descendentes e no período de 10 anos serão 48 trilhões.


- 30% dos incêndios em instalações industriais e comerciais de causas não definidas, são atribuídas à roedores.


- Na Idade Média, através da transmissão da Peste Negra (peste bubônica e pneumônica), os ratos aniquilaram 25 a 50% da população européia, dependendo do país atingido.

- Atualmente os ratos e suas pulgas espalham diversos tipos de doenças como : tifo, febre da mordida, leptospirose, hantavírus, triquinose, salmonelose e outras.


- O hantavírus (vírus letal transmitido pelos ratos) pode ser propagado, simplesmente pelo caminhar do indivíduo sobre superfície de poeira, através da inalação desta. A febre hemorrágica é o pior tipo da doença causada pelo vírus, provoca hemorragia pelos poros, olhos e liquefaz os órgãos internos com altíssimo grau de mortalidade.

- Os ratos conseguem sobreviver e dar continuidade à espécie em qualquer ambiente, devido a sua extraordinária adaptabilidade, ex.: um rato da Sibéria, que possui pelagem de 11 cm, quando trazido para o Brasil, em 6 meses já produz descendentes com 1 cm de pelagem.


- Os ratos têm neofobia, fobia pelo novo. Quando entram em contato com objetos ou alimentos recém introduzidos em sua área, enviam os doentes e os idosos do seu grupo para testar o novo produto, depois de algum tempo, se não houver perigo, consomem o produto, por isso nenhum raticida pode ter efeito fulminante, pois seriam facilmente identificados e não consumidos. Ex.: é proibido a utilização de "chumbinho".


- As colônias competem entre si e quando não há oferta de alimento suficiente, comem seus próprios filhotes.

- Residências que possuem cães são atrativas para roedores, pois o cidadão brasileiro não é como o europeu ou americano que remove o restante da ração após ter alimentado seu animal, ficando a mesma a mercê dos ratos.


- O crescimento ininterrupto dos seus dentes incisivos faz com que roam tudo que encontrar, para exercitar sua arcada dentária, atacando: chumbo, diversos metais, alumínio, cobre, madeira, plástico, fios eletrificados, etc.


- Efeito Bumerangue ou Inversão de Efeito é quando não se obtém a diminuição de ratos em uma área, após um trabalho de desratização e sim inverte-se o efeito desejado aumentando a população existente, ex.: uma colônia que tenha 10 ratos adultos, o aparecimento do 11º rato inicia o canibalismo, os recém nascidos são abandonados pelas mães e comidos pelos adultos, as fêmeas diminuem sua freqüência de cio e parem ninhadas reduzidas (as quais são canibalizadas), somente se ocorrer a morte de 1 dos 10 ratos dessa colônia é que a vaga é preenchida por algum filhote, dessa forma a colônia auto regula-se.


Caso o homem intervenha nesse equilíbrio e consiga eliminar 4 indivíduos dessa colônia, as fêmeas gerarão 20 pequenos ratos, que vão se alimentar da porção de comida dos 4 adultos eliminados, haverá competição direta entre esses 20 filhotes que vão disputar a vaga em aberto na colônia, recompondo o número original, onde os 4 mais fortes tentam eliminar os 16 outros jovens mais fracos, porém esses 16 já não são tão desprotegidos, nem tão inábeis e assim salvam suas vidas fugindo do território e vão habitar as áreas contíguas, estabelecendo novas colônias, dessa forma ao invés da colônia anterior de 10 indivíduos, depara-se com 26 ratos.


Os roedores estão classificados como:


REINO: Animal

RAMO: Chordata (VERTEBRADOS)

CLASSE: Mammalia (MAMÍFEROS)

ORDEM: Rodentia (ROEDORES)

SUB ORDEM: Myomorpha

FAMÍLIA: Muridae

ESPÉCIES: Rattus norvegicus, Rattus rattus, Mus musculus



Ratazanas/Rattus norvegicus



Ratazana

Hábitos:


É o mais comum dos roedores urbanos. Tem hábitos noturnos, sedentários e agressivos.



Normalmente vivem em áreas externas das residências. Abrigam-se em tocas(ninheiras ) e galerias que cavam sob as fundações, em depósitos de lixo, nos jardins, à beira de córregos ou valas. A rede de esgotos ou de escoamento pluvial, também serve como abrigo para esses roedores.


No interior das residências abrigam-se entre pisos e paredes, nos espaços mortos de armários, etc.


Biologia:


O corpo é robusto, podendo alcançar 25 cm de comprimento, sendo revestido com pelos de coloração castanho-acinzentada. A cauda é grossa, pouco peluda e mais curta do que o conjunto cabeça e corpo.

O focinho é rombudo, as orelhas são pequenas e dispostas para trás, encostadas à cabeça.

Os pés traseiros são bem desenvolvidos chegando a medir 37 mm.

As fezes são grandes, escuras, cilíndricas e apresentam as extremidades arredondadas.

Vivem um ano em média. Atingem a maturidade sexual entre o segundo e terceiro mês de vida. O período de gestação é de 22 dias, parindo oito a dez filhotes por ninhada, procriando quatro a cinco vezes por ano.

Possuem hábitos semi-aquâticos e são excelentes nadadoras.

Alimentam-se preferencialmente de peixes, carnes e cereais.


Obs: Dificilmente ficam abrigadas em locais com distância superior a 45 m da fonte de alimento.


RATO DE TELHADO ( Rattus rattus )


Hábitos


Abrigam-se acima do nível do solo. Em residências escondem-se no forro e no sótão.

Nas áreas abertas preferem o topo das arvore.

São onívoros, preferem frutas, legumes e cereais. Dificilmente abrigam-se em locais com distância superior a 45 m da fonte de alimento.

Biologia

Conhecidos como ratos de forro, são menores do que as ratazanas, ágeis e possuem o focinho afilado. A cauda é mais longa do que o conjunto cabeça e corpo, possibilitando um melhor equilíbrio. A coloração varia entre o preto e o cinza escuro. As orelhas são grandes e proeminentes. As fezes são fusiformes, medindo cerca de 12 mm. Vivem cerca de 1 ano.

A maturidade sexual é atingida entre o segundo e terceiro mês de vida. O período médio de gestação é de 22 dias, parindo 4 a 8 filhotes por ninhada, com cinco a seis ninhadas por ano.


CAMUNDONGOS( Mus musculus


Hábitos

São onívoros. Tem preferência alimentar por cereais.

Abrigam-se em espaços de paredes, de armários, de móveis, ou até mesmo entre os gêneros armazenados. Dificilmente distanciam-se mais do que 9 metros entre o local de abrigo e a fonte de alimentação.

Geralmente são confundidos com filhotes de ratazanas ou de ratos.


Biologia

É o menor dos roedores domésticos. Tem tamanho aproximado de 18 cm, sendo nove cm de corpo e 9 cm de cauda. Seu peso é aproximadamente de 15 gramas. O corpo é pequeno e delicado, revestido com pelos de coloração acinzentada. As orelhas são proeminentes e os olhos são vivos e salientes. As fezes são pequenas, finas e com pontas afiladas, podendo ser confundidas com as fezes de baratas.

Vivem cerca de um ano e com dois meses ( 68 dias ) já são considerados adultos. O período de gestação é de aproximadamente 19 dias e a ninhada comum varia de quatro a oito filhotes. Procriam sete ou oito vezes por ano.


RECONHECIMENTO DA PRESENÇA DE ROEDORES


Os camundongos apresentam fezes com tamanho de 13 mm de comprimento e possuem as extremidades afiladas. São semelhantes ás fezes das baratas de esgoto. Estas são menores, medem cerca de três mm de comprimento e apresentam estrias longitudinais

Ninheiras são encontradas no solo em forma de galerias.( ratazanas )

Roeduras em obstáculos como portas, cantos inferiores etc.

Trilhas do habitat até fonte de alimentação, deixando manchas de gordura do corpo nas extremidades.

Rastros ou pegadas na superfície de solos úmidos ou de constituição arenosa.

Ratazanas: suas fezes são cilídricas, medem aproximadamente dois cm de comprimento e apresentam a extremidade rombuda.

Os ratos têm fezes com 1,5 cm de comprimento e possuem as extremidades afiladas.

Controle populacional

Higienização do local

Ações mecânicas

Ações químicas

Manejo integrado de roedores que engloba os seguintes processos:

Inspeção prévia para determinar a grandeza do problema.

Higienização da área, com remoção do lixo

Manejo ambiental, exclusão física através de rativedação.

Programa de educação sanitária

Monitoramento

Aplicação de rodenticidas

Avaliação dos resultados

EPI( EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL )/ FUNDAMENTAL:

Chapéu p/ protecão contra raticida pó( couro cabeludo)

Luvas de borracha

Protetor facial p/ o raticida pó

Botas de couro para inspeção local

Máscara para material particulado p/ o raticida pó

Ref. Bibliográfica: série técnica ABCVP 1º edição, setembro 1998- operadores de controle de pragas.

Parte fonte: Site ambientalbrasil















4 comentários:

CLÉZIA MARIA disse...

Ótimas informações, amigo! É sempre importante esse tipo de informação para que as pessoas obtenham maiores e melhores informações sobre o assunto. Através do conhecimento surge a conscientização e o combate.

biologocarlossimas disse...

Muito obrigado pela participação Clézia. Abraço,a todos os leitores !


Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina(Cora Coralina).

Moyseis RIBEIRO LOPES JUNIOR disse...

Pois é...ontem fiz um trabalho de limpeza numa venda de ração e fiquei admirado com a capacidade de sobrevivência deste animal...Sou leigo no assunto mas tenho a vantagem de não ter medo e admirar esse bichinho extraordinário...

Anônimo disse...

Bom minha mãe vai fazer uma prova falando desse bichinho,eu morro de medo de rato.