quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Peste bubônica volta a atacar, desta vez no Congo.


Dado é da Organização Mundial da Saúde, que viu surto em 2006.
A Peste Negra, comum na Idade Média, ainda não foi erradicada.

Luis Fernando Correia Especial para o G1

Durante a idade média uma doença infecciosa varreu o mundo. Era a chamada Peste Negra ou Peste Bubônica. Para quem pensa que essa doença faz parte da história a Organização Mundial da Saúde registrou em 2006 um surto na República Democrática do Congo.

A doença atingiu uma área de mineração de diamantes no noroeste do Congo, região de difícil acesso e instável politicamente com ação de grupos de guerrilheiros.


Segundo informações de um time avançado de médicos de uma ONG, o grupo de mineradores atingido tinha cerca de mil pessoas, que se espalharam pela selva e vilas próximas.


A peste é uma doença causada por uma bactéria chamada de Yersinia pestis.
Essa bactéria existe na natureza, habitando roedores como ratos e infectando seus parasitas como as pulgas.


A doença se espalha ao ser humano através da ação dos insetos ou pelo contato com substâncias contaminadas pela bactéria eliminada pelos roedores.


Existem três formas da doença no ser humano:

A forma bubônica, transmitida pela contaminação da pele através da picada das pulgas ou contato de pele ferida com a pele dos animais ou seu sangue. A principal característica dessa forma é a presença dos bubões, ou linfonodos aumentados de tamanho vistos sob a pele.


A forma pulmonar, que acomete diretamente os pulmões e a transmissão passa a ser feita diretamente, pela eliminação de bactérias pela tosse, de um ser humano a outro.


Existe ainda uma forma septicêmica, onde a bactéria prolifera no sangue.

A evolução da doença é rápida e após um período de incubação médio de uma semana. Após a manifestação da doença a evolução para piora e morte é rápida, levando alguns pouco dias.

O tratamento com antibióticos, felizmente, é simples e eficiente, desde que aplicado precocemente.


O que torna o surto da doença no Congo importante é o fato de que apesar de todos os avanços tecnológicos da medicina não fomos capazes de resolver problemas como esse.

Luis Fernando Correia é médico e apresentador do "Saúde em Foco", da CBN

Fonte: Site G1

Nossa opinião: Falamos neste blog, constantemente em saúde preventiva ou profilaxia de doenças. Acreditamos em solução para se cuidar de saúde, não de doença. Portanto, saneamento básico, educação de qualidade, cutura, habitação digna, sobretudo ao cidadão mais humilde, água potável encanada, recolhimento e tratamento adequado do lixo e ordenamento urbano, significam sim, saúde, pois, se evita a proliferação de roedores, insetos e microrganismos patogênicos.(causadores de doenças). Tudo começa(ou deveria começar) pelo município. Portanto, no próximo dia 05 de outubro: PENSE E VOTE!

Nenhum comentário: