domingo, 2 de novembro de 2008

Nova York ganha 'Google Maps' para identificar paradeiro de ratos




Foto: AP Essa imagem, que virou febre na web, mostra rato dentro de restaurante em fevereiro de 2007. Estabelecimento em NY foi fechado.


Site mostra onde os roedores estão e ensina a evitar as pragas.
Ele também tem guia com profissionais que combatem os roedores. (Foto: AP) A cidade de Nova York quer ter certeza de que os ratos não têm onde se esconder, pelo menos online. Por isso a criação do Rat Information Portal, um site que exibe um mapa de onde os roedores se localizam e dá dicas sobre o que fazer para evitar essas pragas. No estilo “Google Maps”, o mapa permite que o internauta selecione uma região e dê zoom, para saber se ela está livre ou infestada de ratos. O site foi para o ar oficialmente na quinta-feira (30). Um dos principais objetivo da página é encorajar os moradores de Nova York a ficarem atentos à situação, usando o mapa para identificar áreas problemáticas e cobrar ações dos donos de propriedades que servem como “ninhos” para os roedores. “Os usuários poderão entender o que devem esperar das autoridades e também ajudá-las”, afirmou Dan Kass, assistente do departamento de saúde. Outra utilidade desse endereço é servir como um guia para os internautas encontrarem profissionais que trabalham no combate dos ratos. Há muito tempo esses roedores são parte do cenário da cidade: em fevereiro de 2007, um vídeo da TV virou sensação na internet ao exibir ratos dentro de um restaurante em Manhattan. A companhia responsável pelo local, a Yum Brands, teve de fechar o estabelecimento. Cores indicam ocorrência de ratos em diferentes áreas de Nova York


(Foto: Reprodução)
Segundo Kass, a cidade está vendo melhoras com o aumento das inspeções iniciadas na região do Bronx. A idéia é trabalhar para combater o problema dentro de uma determinada área, e não apenas reagir às reclamações referentes a propriedades específicas. “Os resultados preliminares mostram que essa estratégia está melhorando os esforços para erradicação do problema”, afirmou.

Fonte e Fotos: Site G1 o Portal da Globo

Nossa opinião: Biólogo Ambiental Carlos Simas

Nossa Opinião:

Em relação à matéria supra citada, o roedor em questão(pela imagem), nos parece ser um rato de telhado (Rattus rattus), em virtude de características peculiares, como a cor da pelagem, cauda longa e orelhas levantadas. Se assim o for, o controle desses roedores urbanos, tão presentes, aqui também no Brasil... E no mundo, exigiria mecanismos de controle mais sensíveis. Em primeiro lugar, conhecimento de sua biologia é fundamental.

Saber que diferentemente da ratazana de esgoto, (Rattus norvegicus), que vivem em galerias de esgotos e, sobretudo em galerias no solo (ninheiras), esses roedores, são aéreos, ou seja, vivem no alto, no forro de construções, espaços deixados entre paredes, cavidades nas mesmas etc., descendo ao solo, só em casos extremamente necessários, para a busca de alimentos; normalmente a população, ou número de indivíduos, nesses casos, atingiu grandes proporções, havendo assim, competição intra-específica (dentro da espécie).

Sua alimentação também é diferente, preferindo frutos adocicados, inclusive tomates, alguns legumes como beterraba, grãos, sementes, cereais, quando em vida selvagem, se alimentam de frutos adocicados, ovos de pássaros, filhotes e adultos. Portanto, diferentes da ratazana de esgoto, que possuem hábitos alimentares por comidas gordurosas, como carnes, peixes, feijão, arroz, etc., porém, ambos são evidentemente onívoros.

Saber desses detalhes técnicos, é fundamental para se tratar de mecanismos científicos e práticos, para estratégias de controle; de outra forma, por mais bem intencionado que o governo, empresa desinsetizadora (controle de pragas urbanas), ou profissional sejam, o controle fracassará. Vejo em várias oportunidades, se tratar o ambiente, com iscas e metodologias para uma espécie de roedor infestante, quando na realidade, o ambiente apresenta alto índice de infestação por outra espécie. É óbvio; já que não se conhece estratégias corretas de controle, não vai funcionar.

Portanto, treinem seriamente seu pessoal técnico, encarem o controle de pragas urbanas com seriedade; se assim o fizerem, economizaremos no hospital, e o mais importante: teremos qualidade de vida na cidade, pouparemos vidas preciosas, diferente do exemplo recente da Dengue; atrairemos muito mais turistas à nossa cidade e construiremos um futuro mais feliz! Um beijo no seu coração!

Numa de nossas matérias neste Blog, intitulada: "Roedores urbanos, biologia e controle", por sinal, muitíssimo acessada, por leitores internautas, do Brasil e do mundo inteiro,(muito obrigado à todos), enfatizamos a importância em saúde pública do controle desses animais. Se gasta uma fortuna com a manutenção de hospitais, quando a simples profilaxia (prevenção), é a chave para a saúde da população e conseqüente maximização de recursos públicos. No entanto, sem vontade política, saneamento básico, ordenamento urbano, coleta e tratamento eficaz do lixo urbano, rede e tratamento eficaz do esgoto domiciliar, correta fiscalização, pessoal técnico e sobretudo, investimento na educação ambiental à população, principalmente, é claro, aos nossos inestimáveis professores e às nossas crianças do ensino fundamental, não lograremos êxito nesta empreitada. Portanto, a palavra se encontra com as autoridades, que detém as tomadas de decisões!

Nenhum comentário: