sábado, 21 de março de 2009

Agente Federal de Combate as Endemias(Dengue), Morre de Mal Súbito em Plena Atividade.


Com profundo pesar, comunicamos o falecimento por morte súbita, do nosso grande colega e companheiro, Agente Federal de Combate as Endemias da FUNASA/MS, Linandro Júlio da Silva, ocorrida nesta quarta feira, dia 18/03. O mesmo se encontrava em atividade de campo, no combate a Dengue, passou mal, foi prestado socorro, porém, não houve tempo de chegar com vida ao hospital Rodolfo Périssé em Búzios-Rj.


A Secretaria de Saúde, disponibilizou mecanismos de assistência à família naquele momento de dor e cedeu transporte digno, para levar companheiros da vítima ao sepultamento, que ocorreu na quinta feira, dia 19/03, às 17 horas, no cemitério jardim da Saudade em Édson Passos, na Baixada Fluminense-R.


Reiteramos o agradecimento da família enlutada à todos, que, de alguma forma, pôde contribuir, para amenizar a dor daquele momento difícil, e apenas alertamos para que a Fundação Nacional de Saúde(FUNASA), leve mais a sério, os exames, que foram realizados em dezembro de 2008 e que até o presente momento, não foram divulgados aos servidores, portanto, o servidor morreu, sem saber do resultado, se estava bem de saúde, ou não.


Há poucos dias atrás, em mensagem encaminhada ao STF, que pode ser visualizada neste blog, denunciamos, à suprema casa judiciária, que a maior parte dos servidores de campo da FUNASA, sobretudo, aqueles de 1988, apresentam graves sintomas de intoxicação crônica, por uso e exposição prolongada de inseticidas de largo espectro em saúde pública, como o Temefós(Abate), que a época se usava, sem qualquer tipo de proteção individual.


Esses servidores possuem em média hoje, 50 anos ou mais, são extremamente qualificados, até em virtude do tempo(20 anos de experiência), e merecem reconhecimento e respeito, por tudo que fizeram,e continuam fazendo nos municípios, onde se encontram lotados, no combate a dengue e outras endemias.


Mais um combatente, grande amigo nosso, cai em linha de batalha, mas a luta continua companheirada.

Nenhum comentário: