segunda-feira, 8 de junho de 2009

AMBIENTALISTAS DEMONSTRAM APOIO AO MINISTRO MINC EM ATO NA ALERJ.


Entidades ambientalistas e da sociedade civil promoveram nesta segunda-feira (08/06), nas escadarias do Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Rio, um ato em defesa da legislação ambiental brasileira, contra o desmatamento e em apoio ao ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc. De acordo com o ministro, que participou do ato, é importante que a população das cidades esteja ciente do que está acontecendo "no campo e nas florestas". "Queremos mais proteção e mais produção de alimentos. Fizemos uma grande aliança com a agricultura familiar. Não nos negamos a dialogar com ninguém. O que a gente quer é proteger o Brasil e impedir que a Amazônia, o Pantanal e o Serrado, por exemplo, virem um grande deserto", alertou Minc, referindo-se à aprovação, na semana passada, pelo Senado, da Medida Provisória 458/09, que dispõe sobre a regularização fundiária das ocupações incidentes em terras da União na Amazônia Legal.

De acordo com os manifestantes, a MP irá regularizar ou até mesmo incentivar a grilagem e a invasão de terras na região amazônica. Os manifestantes usaram machadinhas para representar o que classificaram como "cortes" propostos pela bancada ruralista do Congresso no Código Florestal (Lei 4.771/65) e uma "motoplanta" – espécie de motosserra gigante –, além de esquetes bem-humorados sobre os debates ocorridos nas últimas semanas. Segundo Maurício Ruiz, um dos organizadores da manifestação, o que está acontecendo é um retrocesso sem precedentes envolvendo a questão ambiental no Brasil. "Não vamos deixar o Ministério do Meio Ambiente sozinho nessa luta. Esse movimento é para defender o homem, para defender a vida", enfatizou Ruiz.

Para o ministro Minc, a força está não apenas no Parlamento, mas também nas ruas. "A sociedade civil tem que se manifestar, pois essas questões vão influenciar também a vida de quem mora nas cidades", finalizou o representante da União. Algumas das principais reclamações dos manifestantes no que se refere às mudanças no Código Florestal dizem respeito à fixação de um teto considerado "irrisório" para as compensações ambientais e à demora na criação de unidades de Conservação federais. Participaram da manifestação representantes de entidades como o Greenpeace, o World Wildlife Foundation (WWF) e a rede de ONGs da Mata Atlântica.


Nossa Opinião:


Todo apoio ao ministro de meio ambiente Carlos Minc, aliás, será que desejam fazer, o que fizeram à ex-ministra Marina Silva? Até aonde alcançam as mãos dos corruptos poderosos, travestidos de autoridades? Baixareis com mãos manchadas pelo sangue de milhões de brasileiros, que vivem na miséria, para que autoridades corruptas possam engordar cada vez mais, suas contas bancárias, à custa da degradação ambiental, miséria e morte! Até quando, vamos calar a voz embargada no peito, que desfalece, sem as mãos daqueles que deveriam participar da salvação? Aqueles que foram legitimamente constituídos, mas se acovardaram na ganância e medo do enfrentamento da maldade? Levantai os olhos ó perversos e vede que a ruína se aproxima de vós.



"Quem Salva Uma Vida, Salva o Mundo Inteiro"

Ditado Judeu













Nenhum comentário: