quarta-feira, 30 de junho de 2010

sobre a situação dos agentes de endemias do rj.

Carlos obrigado por voce defender a nossa classe trabalhadora, sofremos desde 1991 com essa incerteza da instabilidade dentro do nosso trabalho. O que realmente me preocupa é saber que estamos chegando no final sem nada resolvido, ou seja me refiro ao RJU, quando voce fala em dinheiro, indenizações eu até acho legal mas acho que devemos nos preocupar primeiro com o nosso trabalho porque muitos de nós dependemos apenas desse trabalho e se ficarmos desempregados a esta altura da vida o que vamos fazer afinal de contas a idade para nós já chegou, e fica dificil arranjar outro trabalho. Eu sei que esse não é o seu caso, pois graças a DEUS e também ao seu esforço você é um homem realizado profissionalmente e também estudado, fiquei feliz ao saber que você está fazendo direito sei que você é um biolólogo ambiental pois quando você trabalhava aqui em nilópolis você já atuava como tal. obrigada e desculpe qualquer coisa.


Angela(FNS)

Nossa Opinião:


Essa é a dura realidade do que se passa nas mentes e corações dos companheiros que há mais de vinte anos combatem agravos à saúde pública( DENGUE e OUTRAS ENDEMIAS) no Estado do Rio de Janeiro. Primeiro foi o nefasto SINTRACERJ, que ludibriou a categoria, agora estamos nas mãos do SINTSAÚDE-RJ, que pouco ou nada também faz, a não ser marcar assembléias mentirosas para enganar o trabalhador que está em sua grande maioria, inclusive eu, velho, doente e descrente quanto ao futuro, como observamos no e-mail da estimada companheira Angela, dirigido à mim. Com a palavra(se é que eles têm), o SINTSAÚDERJ e autoridades, inclusive a candidata do PT Dilma Roussef e presidente Lula.



Respondemos a nossa companheira Angela, o que você pode observar abaixo:

Angela, muito obrigado pelo reconhecimento, não fique tão preocupada quanto ao emprego, pois a tendência é continuarmos, independentemente de quem venha ganhar as eleíções, sabendo desde já, que as probabilidades de vitória à Dilma Roussef são infinitamente superiores ao malígno José Serra. Sem dúvida que o trabalho é o essencial para nossa categoria que já não tem mais idade para brincadeiras. Vai dar tudo certo minha amiga. Estamos juntos. Bjs!

Se você for de Nilópolis, ou ainda trabalhar por lá, transmita por favor, forte abraço à todos os companheiros(as). Tenho muitas saudades de todos!


Carlos Simas










terça-feira, 29 de junho de 2010

PF faz operação contra quadrílha que vendia diploma.

Com o objetivo de desmantelar uma organização criminosa com atuação em sete Estados, cuja principal atividade é a de promover cursos à distância em desacordo com as normas estabelecidas pelo Ministério da Educação (MEC), vendendo documentos falsos, agentes da Polícia Federal (PF) cumprem hoje 59 mandados de busca e apreensão. Por volta das 11h30 já haviam sido apreendidos diplomas, certificados e computadores, mas ninguém foi preso.

A Operação Formatura cumpre mandados em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, São Paulo, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro e Santa Catarina. As investigações foram iniciadas dois anos atrás, após denúncia recebida, via internet, pela PF em Campo Grande. Os documentos de certificados de conclusão de curso ou diplomas eram confeccionados irregularmente, especialmente no que se refere à conclusão de ensino à distância dos ensinos médio e fundamental, segundo a PF.



Nossa Opinião:

Como você leitor(a), pode notar, têm diploma falso de nível superior, aqui também no Estado do Rio de Janeiro. Se a Polícia Federal der um pulinho aqui na região dos lagos, sai muita gente algemada. Naturalmente, são pessoas influentes, "respeitadas", que apesar de serem "formadas", não sabem a diferença entre composto químico e biológico.


Fonte: Yahoo Notícias Brasil.




domingo, 27 de junho de 2010

Formigas - Pragas Urbanas - Como Controlar?


As operárias são as formigas que estamos acostumados a ver. Elas são todas fêmeas, não possuem asas e são estéreis; desempenham ainda todas as funções dentro da colônia que também é chamada de formigueiro.




As formigas são insetos sociais que vivem juntos em colônias. Pertencem à ordem Hymenoptera, mesmo grupo em que se encontram as vespas e abelhas. Existem várias famílias de vespas e várias de abelhas, no entanto todas as formigas estão agrupadas em uma única família, a família Formicidae.

Mesmo assim, as diferenças de biologia e comportamento entre as diferentes espécies de formigas são acentuadas, variando desde a formiga doméstica, comum de se encontrar dentro de residências, infestando áreas alimentares, até em hospitais, contaminando soro fisiológico e outros equipamentos até a formiga eminentemente rural, especializada em cortar folhas e outras partes vegetais para garantir a sua sobrevivência.

Para entender melhor a diferença entre cada uma destas formigas e podermos traçar um plano de ação consistente para o seu controle, necessitamos conhecer a biologia e comportamento das formigas.



Descrição:

Podemos reconhecer uma formiga dos outros himenópteros pela presença de uma antena em forma de cotovelo, e pela presença de uma cintura, que pode ter um ou dois segmentos, também chamados de nós.


A classificação das formigas:

Reino: Animal

Filo: Arthropoda

Classe: Insecta

Ordem: Hymenoptera


Estes insetos distribuem-se por todos os continentes com exceção dos pólos. Estima-se que existam por volta de 18.000 espécies de formigas sendo que 10.000 já foram descritas. No Brasil ocorrem aproximadamente 2.000 espécies sendo que somente de 20 a 30 são consideradas pragas. As demais são extremamente benéficas. Elas dispersam sementes contribuindo para o reflorestamento de muitos ecossistemas, como o Cerrado, a Mata Atlântica, a Caatinga e os Campos; promovem a germinação das sementes, pois removem a polpa dos frutos; fazem a poda de algumas plantas promovendo seu crescimento vegetativo; exercem importante papel na aeração do solo; incorporam matéria orgânica à terra tornando-a fértil; são predadoras de diversos artrópodes, muitos deles pragas agrícolas, além de serem predadoras de outras espécies de formigas.

As espécies consideradas pragas são as formigas cortadeiras (saúvas e quenquéns) representadas pelos gêneros Atta e Acromyrmex e as formigas domésticas. Dentre estas últimas citamos as mais importantes: Formiga-fantasma (Tapinoma melanocephalum), Formiga-louca (Paratrechina longicornis), Formiga lava-pés (Solenopsis spp.), Formiga cabeçuda (Pheidole spp.), Formiga carpinteira ou sará-sará (Camponotus spp.), Formiga acrobática (Crematogaster spp.), Formiga Argentina (Linepithema humile), Pixixica ou pequena formiga de fogo (Wasmannia auropunctata), formiga do faraó (Monomorium pharaonis).




Vida Social

Todas as espécies de formigas são verdadeiramente sociais ou eusociais, assim como os cupins. Por outro lado, nem todas as espécies de vespas e abelhas são verdadeiramente sociais; algumas possuem hábito solitário. Um inseto é denominado social ou eusocial pela sobreposição de gerações, pela divisão de tarefas e pelo cuidado com a prole. A divisão de tarefas está associada com a presença de diferentes castas dentro da colônia. Existem a casta das operárias e a casta dos reprodutivos (rainhas e machos).

As operárias são as formigas que estamos acostumados a ver. Elas são todas fêmeas, não possuem asas e são estéreis; desempenham ainda todas as funções dentro da colônia que também é chamada de formigueiro. Dentre estas funções citam-se: escavação e limpeza do ninho, procura de alimento, também chamada de forrageamento, alimentação das larvas e rainha(s), alimentação de outras operárias, defesa da colônia, etc. As operárias vivem de dois a três meses e durante toda sua vida trabalham em prol da colônia.

Em algumas espécies de formigas podemos observar, dentro da casta de operárias, indivíduos com a cabeça desproporcionalmente maior e de tamanho mais avantajado em relação as outras operárias. Estas operárias são denominadas soldados e possuem a função de proteger a colônia de inimigos. Apesar de terem este nome são também fêmeas.

Quando ocorre diferenciação de tamanho e forma no corpo das operárias de formigas diz-se que a espécie é polimórfica. Quando as operárias são do mesmo tamanho são chamadas de monomórficas.

Em algumas épocas do ano colônias maduras produzem um grande número de indivíduos alados conhecidos como reprodutores. Muitas vezes os reprodutores são confundidos com os siriris e aleluias que são cupins. As formigas aladas podem então ser diferenciadas dos cupins comparando-se algumas estruturas.

As formigas apresentam cintura enquanto os cupins apresentam a mesma largura do corpo, do começo ao fim. Tanto as formigas quanto os cupins têm quatro asas, porém, nas formigas as asas anteriores são maiores que as posteriores enquanto nos cupins todas as quatro asas são do mesmo tamanho. Finalmente as antenas das formigas têm forma de cotovelo, enquanto as dos cupins são retas.

A casta dos reprodutores é caracterizada pelas rainhas e machos. As rainhas são responsáveis pela postura dos ovos e são os maiores indivíduos da colônia; possuem asas para fazer o vôo nupcial, isto é, para o encontro com os machos, cuja cópula ocorre em pleno vôo. Uma vez fecundadas elas procuram um local adequado para fundar um novo ninho e, nesta fase, cortam as asas com as mandíbulas e auxílio das pernas posteriores.

Na maioria das espécies de formigas apenas uma rainha é encontrada dentro da colônia e uma vez morta, o formigueiro também morre. Neste caso a espécie é denominada monogínica, com a presença de somente uma rainha fecundada. Entretanto em algumas espécies, especialmente as domésticas, várias rainhas fecundadas podem ocorrer dentro de um único formigueiro. Neste caso a colônia é poligínica, isto é, com várias rainhas. A longevidade da rainha é longa. Rainhas de saúvas podem viver até vinte anos, enquanto rainhas de formigas domésticas vivem aproximadamente 2 a 4 anos.

Os machos também são alados, porém são menores que as rainhas. Sua função é unicamente reprodutiva e têm vida curta.

A identificação é feita observando-se as operárias. O corpo de uma formiga é dividido em cabeça, mesossoma, cintura e gáster. O mesossoma corresponde ao tórax dos outros insetos e o gáster ao abdômen. As características principais para identificar um gênero de formiga são o número de nós na cintura (um ou dois) e o número de segmentos nas antenas. As cores variam muito dentre as espécies e não são uma boa característica de identificação.



Ciclo de Vida

As formigas apresentam metamorfose completa isto é, as fases de desenvolvimento passam pelo ovo, larva, pupa e adulto. Os ovos são de tamanho microscópico e por isso, difíceis de serem visualizados a olho nu. As larvas, que não possuem pernas e são de coloração esbranquiçada, passam por vários estágios que também são denominados ínstares. O número de ínstares pode variar de 3 a 5. Uma larva eclode de cada ovo sendo esta bastante pequena neste estágio.

Após alguns dias, dependendo da quantidade de alimento que a larva recebe e da temperatura, a larva sofre muda, isto é, troca de pele e passa para um segundo estágio, um pouco maior que o primeiro. Neste período é que ocorre o crescimento do inseto. Após o último estágio a larva pára de se alimentar e entra em um estágio denominado pupa.

Algumas espécies de formigas apresentam uma pupa coberta por um casulo de seda, enquanto outras assemelham-se com o adulto, porém com a cor branca. Neste estágio a formiga além de não se alimentar, também não anda. Depois do estágio de pupa emerge a formiga adulta que são as formigas que vemos andando por todo lado. Rainhas e machos nascem também da mesma maneira. Uma vez atingindo a fase adulta a formiga não mais crescerá.



Formação de uma nova colônia

A fundação de uma nova colônia pode se dar pelo vôo nupcial ou pela fragmentação da colônia. Ocorre vôo nupcial quando a colônia já é madura. Rainhas e machos partem de diferentes colônias e copulam em pleno vôo. A rainha pode copular com até 8 machos, dependendo da espécie. Apesar de milhares a milhões de indivíduos saírem para o vôo nupcial a maior parte irá morrer pois outros animais poderão comê-los, por condições climáticas adversas ou simplesmente porque as rainhas não encontrarão local adequado para iniciar um novo ninho.

Caso a rainha tenha sucesso e encontre um local adequado, ela irá escavar uma pequena câmara e se fechará nela para sempre. Esta rainha iniciará a postura dos primeiros ovos onde eclodirão as primeiras larvas. A rainha irá alimentá-las então depositando ovos especiais de tamanho maior denominados ovos de alimentação ou ovos tróficos. Assim que as primeiras operárias emergirem estas irão abrir a câmara e iniciar o processo de procura de alimento para alimentar as larvas recém eclodidas e a rainha.

Enquanto a rainha estiver no período de fundação da colônia ela sobreviverá do metabolismo dos músculos alares que serão transformados em energia para a sobrevivência da rainha. Além disso, enquanto ela esteve sendo alimentada em sua colônia de origem, armazenou energia suficiente para sobreviver o período de fundação.

A fundação de uma nova colônia através da fragmentação ocorre também quando a densidade populacional da colônia está bastante alta. A fragmentação ocorre naquelas espécies de formigas que são poligínicas, isto é, possuem várias rainhas inseminadas dentro de uma única colônia.

Rainhas, e operárias com crias partem para novos locais e fundam ali uma nova colônia. A fragmentação pode ocorrer naturalmente ou pode ser induzida quando ocorre aumento excessivo de temperatura e umidade, ou na presença de substâncias repelentes como substâncias químicas (inseticidas).



Métodos de Prevenção

Para prevenir o ataque das formigas caseiras, deixar o ambiente o mais limpo possível, consertar falhas nas estruturas, como rachaduras nas paredes e frestas em azulejos. Para que elas não cheguem nos açucareiros, pode-se fazer um sachê com gaze ou qualquer outro tecido de malha fina e colocar lá dentro alguns cravos-da-índia.

As formigas odeiam o seu cheiro. Utilizar inseticidas em "spray" não dá bom resultado, pois as espécies de formigas urbanas possuem ninhos com milhares de operárias (formigas que trabalham), dezenas de rainhas (que botam ovos) e cria (ovos, larvas e pupas) e, quando percebem o cheiro do inseticida, tratam de fugir para um local bem seguro, dividindo a colônia em vários pedaços e piorando a infestação.



Métodos de Controle


FORMIGAS CORTADEIRAS:

Controle Mecânico: este tipo de controle somente é viável quando o formigueiro ainda é jovem. Consiste na retirada do ninho escavando-se o local até encontrar a(s) panela(s) de fungo juntamente com a rainha. É um controle efetivo principalmente quando a área infestada é pequena.

Controle Químico: o controle químico pode ser efetuado por meio de iscas granuladas, pós secos, líqüidos termonebulizáveis ou gases liqüefeitos.

Iscas Granuladas: são de fácil utilização consistindo de pequenos pedaços de substrato (peletes) com substâncias muito atrativas às formigas impregnados com um ingrediente ativo tóxico (inseticida). Sua eficiência depende na correta aplicação e na eficiência do ingrediente ativo nela contido.

As iscas mais eficientes são aquelas que possuem ingrediente ativo de ação lenta, pois não matam as formigas por contato, possibilitando que as carreguem para dentro do formigueiro sendo distribuída por todo o fungo.

As iscas oferecem segurança para o aplicador e permitem que o controle seja realizado em áreas de difícil acesso. Durante a aplicação as iscas não devem ser manuseadas, pois as formigas perceberão cheiros estranhos e as rejeitarão. Sua utilização não deve ser realizada em dias chuvosos e solos úmidos.

Pós secos: os formicidas formulados em pós secos são aplicados diretamente dentro do formigueiro por meio de polvilhadeiras (bombas insufladoras de pó). A aplicação tem mais sucesso quando feita em terrenos secos. Terrenos úmidos dificultam a penetração do pó. Em ninhos muito antigos, cujas panelas geralmente são muito profundas a eficiência desta formulação é limitada.

Líquidos Termonebulizáveis: consiste na introdução de inseticida líquido diretamente nos olheiros do formigueiro por meio de aparelhos que produzem fumaça tóxica. O inseticida utilizado deve ter ação rápida e agir por contato. Este método é encarecido devido a aparelhagem e mão-de-obra especializada.

Gases liquefeitos: são gases comprimidos em embalagens apropriadas que serão liberados diretamente no interior de olheiros por meio de mangueiras adaptadas a uma válvula de saída.



FORMIGAS DOMÉSTICAS:

O controle de formigas domésticas é difícil. Uma solução caseira para o problema da formiga doméstica é injetar, com auxílio de uma seringa, uma solução 1:1 de água com detergente de lavar-louças dentro das frestas de azulejos e batentes de portas por onde saem as formigas. Esta metodologia deve ser utilizada sempre que as formigas são observadas, mas nem sempre surte o efeito desejado.

Empresas especializadas podem fazer uso de inseticidas com aparelhos de aerosol. Neste tipo de controle, o ninho deve ser localizado e furos devem ser feitos na parede ou estrutura de madeira acima e abaixo deste. O inseticida é então aplicado. Quando os ninhos estão localizados dentro de conduítes de eletricidade, inseticidas formulados em pós secos podem ser utilizados. Porém, sabe-se que a aplicação de substâncias químicas provoca a fragmentação das colônias. Desta forma não é garantido o sucesso do controle.

A utilização de inseticidas em spray para o controle de formigas não é eficaz, pois fragmenta as colônias.

A forma mais eficaz de se controlar uma infestação por formigas domésticas é a utilização de iscas tóxicas. A isca ideal deve ser atrativa para um grande número de espécies, não agir por contato, possuir ação lenta e ter baixa toxicidade a mamíferos.



Curiosidades:


* Petiscos deliciosos

Em algumas regiões do Brasil o povo utiliza a içá ou tanajura para preparar petiscos que são preparadas de diversas maneiras: torradas como amendoim, assadas, em paçoca com farinha de mandioca ou de milho, etc.

* Alimento de perder a cabeça

Alguns índios, em época de escassez de alimento, comem soldados e operárias da saúva. Comem somente a cabeça jogando o corpo fora.

* Quando o sexo exige demais

Para os Índios, o comer formigas está relacionado a certos ritos: "Entre os índios Uananas, as moças, durante a segunda iniciação (quando estão aptas para a fecundação) são recolhidas ao "jejuário" durante duas luas. Durante a primeira lua elas se alimentam somente de ovos de caba e beiju, em pequena quantidade, e durante a Segunda de maniuara (saúva)" (Amorim, Lendas, p. 54 apud Lenko & Papavero, 1996).

* Ser Pai é padecer no paraíso

Entre os Índios Tucano (Giacone, 1949: 15), quando nasce uma criança, o pai deita-se na rede por três dias e submete-se ao seguinte regime: só comerá três vezes ao dia - Mecká - formigas saúvas; Depótina - formigas saúvas de cabeça grande; e Iamicá - formigas grandes e gordas, maiores do que os cupins; ao anoitecer tomará manicuera e farinha com água ou mingau de tapioca. Ecká, depótina e iamicá, neste caso, designam períodos de tempo e não formigas.

* Para todos os males

Em Barueri (SP), o povo usa infusão de saúva em cachaça para esfregar em partesdo corpo atacadas por reumatismo; a içá comida é considerada como afrodisíaco (Lenko & Papávero, 1996).

Saúvas podem ser utilizadas na suturação de feridas. Os Índios da Guiana coletam soldados de saúvas, aplicam suas mandíbulas aos lábios da ferida, que são mantidos juntos. As formigas mordem, seus corpos são arrancados, e a fileira de mandíbula permanece até que a ferida cicatrize (Lenko & Papávero, 1996).


* Sou macho, de machucado

A tocandira (Paraponera clavata) é uma formiga grande, cerca de 22 mm de comprimento e extremamente agressiva. Sua picada é tão dolorosa que faz um homem rolar no chão de tanta dor, que pode durar até 20 horas. Algumas tribos de índios empregam as picadas de tocandiras em cerimônias de iniciação e como prova da virilidade de candidatos ao casamento.

Meninos de oito a nove anos são vestidos com mangas de algodão, que possam ser amarradas pela parte de cima e pela de baixo. As formigas são colocadas dentro que picam os garotos. O menino é então levado para ser cuidado pelas mulheres. Assim que se recupera o ritual se repete. Esta cerimônia é continuada até a idade de quatorze anos, quando o rapaz aprende a suportar a dor, sem dar sinal de sofrimento, visto que se acha emancipado e pode casar-se.



Fonte: Pragas On Line (www.pragas.com.br)





sexta-feira, 25 de junho de 2010

Jornal Primeira Hora de Búzios publica na íntegra Nota de desagravo do Biólogo Carlos Simas contra Vigilância Sanitária de Búzios-Rj.

Parabéns ao biólogo

Carlos Simas

Gostaria de parabenixar o biologo Carlos Simas, pelo excelente trabalho, dedicação, competência, honestidade e transparência que vem fazendo para o nosso Município, como sempre nos alertando para os perigos a nossa saúde, coisas que não conseguimos observar na secretária de Saúde e, principalmente, a Secretária de Saúde, pois não mostra ser uma pessoa competente e transparente no que diz respeito da troca do remédio para combate ao mosquito da dengue. Senhora Secretária, a sua secretaria não tem competência para nos dar remédio para matar roedores, digo isto porque fui várias vez a sua secretaria e vigilância sanitária.

Sempre fui informado de que não tinha remédio e não tinha carros para ir ao local. Vá agora ao posto do Detran do nosso Município e vai ver o maior criadouro de mosquito no seu subsolo, já denunciado pelo biólogo Carlos Simas, e até hoje não foi tomada nenhuma providência por sua secretária. Vá ao hospital e veja a quantidade de profissionais que faltam. Vá e veja no posto de Unidade de Saúde de Família Benildo Motta, em São José, veja que os caramujos, matos, carrapatos, etc., estão tomando conta do prédio. Tenho fotos que comprovam. Sra. Secretária, cadê o carro fumacê, que há meses, para não dizer anos, não passa no bairro de Tucuns/São José? Cadê a verdade, a transparência a competência?

Gostaria que apresentasse dados e laudos técnicos que mostre a eficácia desse novo remédio no combate ao mosquito da dengue à população buziana e não ficar desmentindo uma pessoa séria, qualificada, competente como o biólogo Carlos Simas que sempre se preocupou em querer o melhor para todos.

Pena que o mosquito da dengue não escolhe quem irá picar. Gostaria tanto que só picasse secretários(as), vereadores, prefeitos, deputados, senadores e presidente.

O meu agradecimento ao JPH pelo espaço que nos é dado.

Gutemberg Evangelista da Silva,

por e-mail enviado em 20/06/10


Sobre o combate à

Dengue

( www.jornalprimeirahora.com.br/ teclado do leitor I )


Depois da matéria em que denunciei o uso de Diflubenzuron, no JPH, as pessoas da Vigilância Sanitária do Município se mantiveram calados comigo, mas tenho informações de fonte segura interna, que buscam ardilosamente me devolver à FUNASA. Em edição JPH subsequente àquela matéria (número 1363), eles (Vigilância Sanitária), de fato ridiculamente se reportam à população dizendo que o produto a ser usado no combate a Dengue é inofensivo à saúde humana, que seria Carbonato de cálcio (CaCO3).

Realmente, esse composto químico citado, sim, é usado na fabricação de cremes dentais. Fazem uma confusão como o samba do crioulo doido, citando Caulim (um minério, Silicato de alumínio (Al2Si2O5(OH)4) como se os dois fossem um só produto, e se fossem o princípio ativo do produto que será usado na prevenção à dengue, o que não é verdade, pois esse produto, o Diflubenzuron tem como princípio ativo Uréia (NH2)2CO, molécula extraída da urina de mamíferos e que também pode ser sintetizada diretamente pela indústria.

O carbonato de cálcio é ‘uma substância abrasiva, age durante a escovação aumentando o atrito com os dentes. O contato promove a esfoliação da camada mais externa dos dentes eliminando a placa bacteriana’.

Nesse momento desejo dizer que não comprei meus diplomas, estando tranquilo para divulgar seus números, sendo o de Bacharel em Biologia Ambiental publicado no Diário oficial da União em 10 de julho de 2001 e o de pós-graduação (Ensino de Ciências e Biologia) nº 73.804, Livro lll/S Folha 20v da Associação de Ensino Superior São Judas Tadeu, concluído em 2007, estando ambas as referências à disposição de qualquer pessoa interessada, inclusive pela internet.

Portanto, temos fundamentação científica, legal e jurídica, para a defesa da saúde da população. A população só duvida se quem deseja polarizar conosco poderia apresentar publicamente também seus diplomas.

O Carbonato de Calcio e Caulim, nada tem a ver com o produto que será usado no combate à dengue (Diflubenzuron/Uréia), qualquer produto químico é potencialmente perigoso à saúde humana/animal, se não, veja só pela UNIFESP (pesquisa) sobre o produto que eles (Vigilância Sanitária) divulgaram, como sendo inóquo (não prejudicial) à saúde humana, o Carbonato de Cálcio:

‘Ficha de emergência’

1. Gerador

Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP

Endereço: Rua Botucatu, 740, 5º andar, Vila Clementino, São Paulo. CEP: 04023062.

Carbonato de Cálcio

4. Telefone: (11) 55764185 / 55764345/ 55796840

5. Aspecto: Pó fino branco, inodoro, insolúvel em água e solúvel em ácidos. Incompatibilidades: Ácidos, sais de amônia, flúor.

7.2. Saúde: Inalação: Pode causar irritação nasal e espirros. Contato com a pele: O contato com a pele pode causar irritações. Contato com os olhos: Partículas nos olhos por longo período podem causar severas irritações. Ingestão: Pode causar dores abdominais. Em caso de ingestão de grandes quantidades, pode causar náusea, vômito, diarréia.

7.3. Meio ambiente: O carbonato de cálcio não é um produto agressivo ou venenoso ao meio ambiente, mas por ser de fácil diluição, deve-se evitar sua entrada em cursos de águas naturais.’

Carlos Simas, por e-mail

enviado em 22/06/10


Nossa Opinião:

Quero desde já, agradecer ao Jornal Primeira Hora pela publicação da nota de desagravo, às muitas instituições como escolas e pessoas que nos apoiam por conhecer nosso trabalho sério e dígno, que desenvolvemos há quase uma década na cidade de Búzios e sobretudo, ao Senhor Gutemberg Evangelista da Silva que enviou e-mail acima referenciado ao jornal, reconhecendo publicamente nosso trabalho e nos apoiando.

É disso que a cidade de Búzios precisa no momento, reunião de forças populares para que não sucumbamos à falta de dignidade. Como muito bem salienta o Senhor Gutemberg, falta dignidade "pública". Essa é uma luta pela saúde da população e dos funcionários que manipularão veneno diflubenzuron e portanto a Câmara de Vereadores e Associação dos Funcionários Públicos de Búzios (ASFAB), deveriam ser os primeiros a nos apoiar nessa luta. É necessário coragem e dignidade para se posicionar publicamente contra a maldade!


quarta-feira, 23 de junho de 2010

ALERJ E CÂMARA DE VEREADORES DE NITERÓI VÃO DISCUTIR ANDAMENTO DO PAC.


As comissões especiais de Acompanhamento das Obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Assembleia Legislativa do Rio e da Câmara de Vereadores de Niterói vão realizar uma audiência pública no dia 1º de julho, às 20h, na Casa Legislativa niteroiense, para discutir o andamento das obras nas comunidades Vila Ipiranga (Fonseca), Capim Melado (Ititioca) e Morro da Cocada (Pendotiba). O anúncio foi feito nesta quarta-feira (23/06), durante reunião entre o presidente da comissão da Alerj, deputado Rodrigo Neves (PT), o presidente da comissão da Câmara, vereador Waldeck Carneiro (PT), e moradores da Vila Ipiranga. "Apesar de os recursos já estarem liberados pelo Governo federal, as obras na Vila Ipiranga, que deviam ter terminado em 2009, não avançaram mais que 17% do cronograma inicial. No Capim Melado, que é vizinho ao Morro do Bumba, as intervenções sequer começaram, e, no Morro da Cocada, que tinha prazo de conclusão para 2008, não há nem 70% do cronograma de obras executados", argumentou o parlamentar.

No encontro, Neves ouviu moradores que denunciaram a paralisação das obras do PAC na Vila Ipiranga e apresentaram diversas reclamações, como a de que a empreiteira responsável teria abandonado o local. "A empresa largou a obra, deixando o material na rua, inclusive vergalhões, que oferecem risco aos moradores. Ao invés de melhorar a qualidade de vida da comunidade, as intervenções feitas pela empreiteira contratada pela Prefeitura pioraram ainda mais a infraestrutura. Há lugares que tinham abastecimento de água e agora não, o esgoto está voltando para dentro de muitas casas, causando doenças nas pessoas. Já fizemos várias cartas endereçadas à Prefeitura, mas não vem ninguém aqui, ninguém explica nada para a gente. As reuniões com a equipe social do projeto são de fachada, pois eles não ouvem as demandas das comunidades", reclamou o presidente do Centro Pró-Melhoramento da Vila Ipiranga, Celso Santos.

Membro da Liderança Jovem Comunitária (LJC) da Vila Ipiranga, Eduardo Costa entregou ao deputado Rodrigo Neves uma solicitação para que as obras na comunidade passem a ser executadas pelo Governo do estado. "Esta é uma situação absurda e vamos promover a audiência para fazer a denúncia formal ao Ministério das Cidades e à Caixa Econômica Federal, e encaminhar a proposta para o Governo estadual assumir essas obras", informou. A audiência do PAC em Niterói contará com a participação de representantes do Ministério das Cidades e da Caixa. A Câmara de Vereadores de Niterói fica na Avenida Ernani do Amaral Peixoto 625, Centro de Niterói.

Nossa Opinião: Parabéns Eduardo Costa pela postura e determinação nos rumos da sua comunidade. São de jóvens assim que a sociedade precisa, para que tenhamos administradores sérios, pois são eles os responsáveis(ou irresponsáveis) pelas tomadas ou não de decisões, que precisam visar sempre o bem estar da população que os elegeu para realizarem trabalho sério, não a safadeza (guardando-se evidentemente as devidas proporções) que vemos no Estado do Rio de Janeiro. Só uma pergunta não quer se calar: E as pessoas que milagrosamente sobreviveram a tragédia do Morro do Bumba, como e onde estão agora? Com a palavra o MP e prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira.

domingo, 20 de junho de 2010

Antraz

O Antraz(carbúnculo) é uma doença causada pela bactéria Bacillus anthracis que pode infectar a pele, os pulmões e o trato gastrointestinal. O Antraz(carbúnculo) é uma doença altamente contagiosa e potencialmente letal. Normalmente, ele passa para o ser humano através de animais, especialmente as vacas, as cabras e as ovelhas.

As bactérias inativas (esporos) podem viver no solo e em produtos animais (p.ex., lã) durante décadas. Embora os indivíduos possam ser infectados através da pele, isto também pode ocorrer através do consumo de carne contaminada ou da inalação de esporos ou de bactérias.


Sintomas e Diagnóstico

Os sintomas podem ocorrer de 12 horas a 5 dias após a exposição à bactéria. Uma infecção cutânea começa como uma protuberância vermelho acastanhada que aumenta de tamanho e com um edema considerável nas bordas. A protuberância torna-se vesiculada e endurece. Em seguida, o centro da mesma se rompe e drena um líquido claro antes de formar uma crosta preta (escara). Os linfonodos da área afetada podem aumentar de volume e o indivíduo sente-se doente, algumas vezes apresentando dores musculares, cefaléia, febre, náusea e vômito.

O antraz pulmonar (doença do trapeiro, dos selecionadores de lã) é decorrente da inalação dos esporos da bactéria do carbúnculo. Os esporos multiplicam-se nos linfonodos localizados próximos ao pulmão. Em seguida, os linfonodos se rompem e sangram, disseminando a infecção para as estruturas torácicas vizinhas.

O líquido infectado acumula-se nos pulmões e no espaço existente entre os pulmões e a parede torácica. No início, os sintomas são vagos e semelhantes aos da gripe. Contudo, a febre piora e, em poucos dias, o indivíduo apresenta dificuldade respiratória, a qual é seguida por choque e coma. A infecção cerebral e das meninges (meningoencefalite) também pode ocorrer.

Mesmo com o tratamento precoce, esta forma de carbúnculo é quase sempre fatal. O antraz gastrointestinal é raro. As bactérias podem crescer na parede do intestino e liberar uma toxina que causa sangramento intenso e morte tecidual. A infecção pode ser fatal quando ela se estende à corrente sangüínea. O conhecimento de que um indivíduo teve contato com animais ajuda o médico a estabelecer o diagnóstico.

Para diagnosticar uma infecção pulmonar, o médico deve obter uma amostra de escarro para cultura. Contudo, o laboratório nem sempre é capaz de identificar as bactérias. Algumas vezes, o tratamento é iniciado quando existe suspeita do carbúnculo e a confirmação laboratorial ainda não se encontra disponível .

Prevenção e Tratamento

Os indivíduos com alto risco de contrair o carbúnculo (p.ex., biólogos veterinários, técnicos de laboratório e empregados de indústrias têxteis que processam pêlos animais) podem ser vacinados. O antraz cutâneo é tratado com penicilina injetável ou com tetraciclina ou eritromicina oral. As infecções pulmonares exigem o uso de penicilina intravenosa. Outros antibióticos também podem ser administrados. Além disso, podem ser prescritos corticosteróides para reduzir a inflamação pulmonar. Quando o tratamento é retardado (geralmente em decorrência do diagnóstico não ser realizado imediatamente), a morte é provável.

Finalmente, sempre frisamos que a prevenção ambiental em saúde representa maior qualidade de vida à população, fato intimamente ligado ao meio ambiente equilibrado, que significa menos pessoas doentes, menos hospitais, menos gastos públicos, portanto possibilidade real de mais investimentos em educação e infraestrutura, que promove o desenvolvimento econômico, social e ambiental sustentável.



Nome pode influenciar no futuro do bebê, diz estudo.


Nome incomum ou unissex pode trazer problemas para a criança no futuro.

Por Minha Vida Publicado em 17/6/2010


enviar para amigos enviar para amigos

Facebook

icone RssRSS

Escolher um nome do bebê é uma tarefa difícil para muitos pais e, não é à toa. De acordo com o estudo da Northwestern University, nos Estados Unidos, um nome pode ter um impacto profundo sobre a criança e repercutir muito na idade adulta. Segundo um dos pesquisadores do estudo, David Fiflio, os nomes das pessoas podem influenciar a forma como elas pensam em si mesmas e a forma como as pessoas pensam sobre elas.

Dar a seu filho menino recém-nascido um nome que soe feminino pode significar problemas de comportamento na vida adulta. E os nomes originais e incomuns podem trazer dificuldades também, como mostrou o estudo realizado com 3 mil pais. Um em cada cinco pais lamenta o nome que escolheu para o seu filho. Na pesquisa, os relatos mostravam que muitos deles estavam angustiados sobre os nomes incomuns ou de grafia estranha que tinham escolhido. E mesmo aqueles que não lamentaram explicitamente a escolha do nome, admitiram haver nomes que preferiam ter escolhido. O estudo foi encomendado pelo site britânico Bounty.com, que apresenta a lista dos nomes mais populares da história.

Os resultados da pesquisa mostraram que as crianças que tem nomes que servem tanto para meninas como para meninos são mais propensas a portar-se mal. Além disso, ao acompanhar os alunos de universidade, os pesquisadores descobriram que meninas com nomes mais femininos optam mais por cursos avançados de ciências humanas, já mulheres com nome unissex são mais propícias a escolher cursos de exatas.

A pesquisa mostrou também que há uma forte ligação entre gostar do nome e autoestima. Segundo outra pesquisadora do estudo, Jean Twenge, aqueles com alta autoestima geralmente gostam das letras que estão em seus nomes, especialmente a primeira letra, quando são submetidos a testes psicológicos de análise. Os cientistas disseram ainda que o nome pode ser um reflexo do estilo de vida dos pais. O pai que deseja que o filho se destaque socialmente e dá a sua criança um nome incomum, provavelmente terá um estilo parental que enfatiza a singularidade da criança, por exemplo.

Em geral, os pais acabam por perceber esses aspectos mais tarde. Como mostra o site Bounty, um quinto dos pais participantes do estudo desejavam ter escolhido um nome mais fácil de soletrar e um em cada 10 pensou que o nome escolhido foi inteligente no momento, mas disse que a novidade tinha se desgastado depois.

Como escolher o melhor nome

Na hora de escolher o nome do seu bebê, você pode seguir alguns passos para não errar. Confira algumas dicas:

Consulte o significado: Há quem diga que o nome é como um talismã, capaz de determinar a sorte de quem o carrega. Acreditando ou não, sempre vale investigar o significado do nome antes de escolher, nem que seja para efeito de desempate entre os candidatos;

Rótulos prévios: O nome pode sugerir a origem, o contexto cultural, a época e até o lugar em que a criança nasceu. Davi e Sara são pistas de uma ascendência judaica, por exemplo. Costume antigo, outros nomes lembram o mês em que o bebê nasceu, caso de Júlio (julho) e Augusto (agosto). Reflita sobre as marcas que você quer (ou não) que seu filhote carregue;

Cuidado com homenagens: Os artistas, atletas, líderes políticos e personagens de livros, novelas e filmes são sempre uma fonte de inspiração. Mas é preciso ter bom senso. No futuro, sua filha roqueira pode detestar o nome "Sandy";

Nem sempre é bom inovar: A originalidade é bem-vinda, mas sem exageros. A linha que separa o bonito do esquisito é muito sutil quando se trata de nomes inventados. Pense que o nome precisa sobreviver a décadas. Ou seja, daqui a 50 anos, seu filho vai continuar a carregá-lo, para bem ou mal.

Nome ou apelido: É da nossa cultura diminuir os nomes ou dar apelidos às pessoas. Leve isso em consideração também: um nome muito grande, complicado ou estranho talvez seja pouco usado, porque será mais fácil chamar pelo apelido. Pior quando o nome dá origem a apelidos nada bonitos. Pense em todas as possibilidades!



quarta-feira, 16 de junho de 2010

Denunciado ex-prefeito de Niterói por crime de falsidade.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro denunciou, na sexta-feira (11/06), por intermédio do promotor de Justiça Cláudio Calo, titular da 4ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 2ª Central de Inquéritos, o ex-Prefeito Godofredo Saturnino da Silva Pinto, de Niterói, por deixar de cumprir ordem judicial legal e por falsidade ideológica. Por este crime também é acusado Paulo Cezar Pereira Nazareth, ex-Procurador-Geral do Município de Niterói.

A denúncia, distribuída na segunda-feira (14/06) para a 5ª Vara Criminal de Niterói, descreve que Godofredo Pinto deveria ter cumprido sentença e acórdão cíveis condenatórios prolatados, respectivamente, pela 6ª Vara Cível de Niterói e pela 10ª Câmara Cível, entre 2005 e 2008. O ex-Prefeito recebeu várias intimações, mas as ignorou, incidindo, assim, no crime de responsabilidade de Prefeito Municipal. Ele foi intimado porque, no exercício do seu mandato de Prefeito, o Município de Niterói foi condenado a pagar gratificações de produtividade técnica, além dos valores atrasados, a dois ex-servidores, procuradores municipais aposentados, mas recusou-se a cumprir as decisões judiciais, apesar de não admitirem mais qualquer recurso.

Quanto ao crime de falsidade ideológica, a denúncia afirma que, em junho de 2007, o ex-prefeito e o ex-Procurador-Geral do Município de Niterói, no procedimento investigatório criminal, inseriram, bem como fizeram inserir, declarações falsas referentes ao pagamento das gratificações. O documento dizia que as decisões haviam sido cumpridas, enquanto, na realidade, os pagamentos não foram realizados integralmente. Tal falsidade viabilizava ensejar o arquivamento do procedimento investigatório criminal.

Os crimes possuem penas máximas de três anos pelo descumprimento de decisão judicial por parte de prefeito e cinco anos pela falsidade ideológica, acrescida esta última de um 1/6.

Fonte: Ministério Público-Rj


Nossa opinião:

Administradores covardes e irresponsáveis precisam disso; que sejam denunciados junto ao MP, e que sofram a coerção dura do ordenamento jurídico. É hora de reação corajosa e implacável contra injustiças da parte daqueles que foram e são eleitos para trabalhar para o povo, não se sentir o dono da cidade, do funcionário público e acima do bem e do mal.

Seria também oportuno a citação do atual prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira por improbidade administrativa quanto a sua omissão que ocasionou as mais de cento e cinquenta mortes de inocentes ocorridas no deslizamento do Morro do Bumba nas últimas enchentes no início de 2010. Aproveitando que já vale para essas eleições, FICHA LIMPA NELES!!!





segunda-feira, 14 de junho de 2010

Deputados Ruralistas eco-sujos.

Caros amigos,

Um grupo de deputados estão tentando enfraquecer as proteções ambientais no Brasil, matando nosso Código Florestal. Vamos deixar claro que os brasileiros não permitirão um retrocesso na proteção das nossas florestas. Clique abaixo:
É chocante, mas o congresso brasileiro poderá abrir oficialmente uma "temporada de desmatamento", nas 5 regiões do Brasil, significando um retrocesso de décadas em proteção ambiental!

Mais de 70 deputados da bancada ruralista, representando os intersses do agronegócio, estão tentando enfraquecer o Código Florestal brasileiro. Se eles conseguirem, milhões de hectares deixarão de ser protegidos por lei!

O Congresso está dividido - há uma forte oposição dos parlamentares ambientalistas mas os dois maiores partidos, o PT e o PMDB, ainda não assumiram uma posição. Porém, a não ser que haja uma grande pressão popular, é provável que eles se alinhem com os ruralistas para ganhar apoio político nas eleições de outubro. Chegou a hora de mostrar o que o Brasil quer! Vamos enviar milhares de mensagens direto para os emails dos líderes partidários, eles estão negociando o posicionamento dos seus pertidos agora mesmo! Clique abaixo e envie a sua:

http://www.avaaz.org/po/mensagem_codigo_florestal/?vl

As propostas mais perigosas são: a anistia irrestrita ao desmatamento ilegal ocorrido até 2008, a eleminação da Reserva Legal para propriedades de até 4 módulos rurais inclusive na Amazônia e a transferência da regulamentaçõa para o nível estatal, flexibilizando a lei. As propostas são uma grave ameaça à preservação ambiental, reduzindo dramaticamente as áreas atualmente protegidas.

Grupos ambientais estão fazendo tudo o que podem para impedirem os ruralista, mas eles precisam de nossa ajuda. Mais de 90.000 brasileiros assinaram a petição para salvar o Código Florestal em menos de duas semanas. Mas agora nós precisamos aumentar a pressão e enviar milhares de mensagens ao líderes partidários. Os líderes estão negociando o posicionamento dos partidos agora mesmo - envie uma mensagem para eles, deixando claro que não queremos alterações no Código Florestal!

http://www.avaaz.org/po/mensagem_codigo_florestal/?vl

Nós precisamos acabar com o mito de que a preservação ambiental é uma ameaça ao desenvolvimento. Um estudo recente mostra que o Brasil possui mais de 100 milhões de hectares disponíveis para agricultura, ou seja, há terra suficiente para produzir. O Brasil tem o privilégio de ser um país rico em recursos naturais e temos a rara oportunidade de crescer de forma sustentável. É nossa responsabilidade desenvolver e preservar ao mesmo tempo. Envie uma mensagem agora, não deixe que eles acabem com o Código Florestal!

Com esperança,

Graziela, Alice, Ricken, Ben, Iain, Milena, Mia e toda a equipe Avaaz

Leia mais sobre o assunto:

País tem 100 milhões de hectares sem proteção - Estadão:
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100505/not_imp547054,0.php

Apagão Ambiental: seria cômico, não fosse trágico - IPAM:
http://www.ipam.org.br/blogs/Apagao-Ambiental-seria-comico-nao-fosse-tragico/67

Marina: mudança no Código Florestal é retrocesso:
http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/06/10/marina-mudanca-no-codigo-florestal-retrocesso-298695.asp

Ambientalistas criticam o texto apresentado pelo relator sobre o novo Código Florestal Brasileiro:
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/06/09/politica,i=196793/AMBIENTALISTAS+CRITICAM+O+TEXTO+APRESENTADO+PELO+RELATOR+SOBRE+O+NOVO+CODIGO+FLORESTAL+BRASILEIRO.shtml

domingo, 13 de junho de 2010

Biólogo Carlos Simas de Búzios é Ameaçado e Reage.


Desejo dizer que não tenho como o velho ditado diz: "O Rabo Preso" com ninguém; o nosso único compromisso é com Deus, às pessoas de bem, e com nossa consciência. Não vamos retroagir um só milímetro, até que vejamos em nossa Armação dos Búzios um ambiente político sem "armações" contra o povo mais humilde. Abaixo você pode ver resposta que encaminhamos hoje à mídia local e também cópia ao MP, para ser anexado aos autos da denúncia anterior que já fizemos contra o uso descabido do novo inseticida/larvicida( Diflubenzuron) que seria usado no combate a Dengue, sob risco de prejuízo a saúde do trabalhador( sou um deles), bem como a população em geral.


Se desejar nos apoiar, envie e-mail de repúdio à perseguição contra o biólogo Simas no endereço eletrônico da Prefeitura de Búzios:


http://comunicabuzios.wordpress.com

Veja também essa matéria no Twitter:

twitter.com/biologoSimas


Em relação à matéria sob o título: “Vigilância Sanitária desmente agente de saúde”, veiculada na edição 1363 do Jornal Primeira Hora de Búzios, quero dizer que o desejado desmentido, se fosse possível, se refere à denúncia que fiz nesse conceituado veículo de comunicação na edição 1362, a qual reitero nesse momento, inclusive provando o que declarei com pesquisa realizada pela Universidade do estado de São Paulo/UNESP, a disposição de qualquer pessoa no endereço eletrônico:

http://www.qca.ibilce.unesp.br/prevencao/produtos/ureia.html

Uréia

Sinônimos: Resina de Carbamide; Isourea; diamide de Carbonyl; Carbonyldiamine

Fórmula química: (NH2)2CO

1) IDENTIFICAÇÃO DOS DANOS

AVISO: Danoso se for aspirado ou inalado. Causa irritação à pele, olhos e trato respiratório.

Índices:

Saúde: 0 - nenhum

Flamabilidade: 1 - leve

Reatividade: 0 - nenhum

Contato: 1 - leve

Equipamento a ser usado em laboratório: óculos e avental;

Código de Armazenamento: laranja (armazenamento geral) *Etiqueta deve conter a precaução de se evitar contato com olhos, pele e roupas, respiração da poeira. Deve conter também instruções de se usar com ventilação adequada.

Efeitos potenciais à saúde:

Inalação

Causa irritação ao trato respiratório. Sintomas incluem tosse e aumento da freqüência respiratória.

Ingestão

Irritação das membranas da mucosa devido a hidrólise e formação de ácido no estômago. Doses altas produzem cólicas estomacais, estenose do esôfago, náusea e vômito. Pode causar enxaqueca, confusão e depleção de eletrólito.

Contato com a pele

Causa irritação à pele, sendo os sintomas mais freqüentes vermelhidão, coceira e dor.

Contato com os olhos

Causa irritação, vermelhidão e dor.

Exposição crônica

Um estudo de 67 trabalhadores em um ambiente com concentrações altas de uréia comprovou uma incidência alta de perturbações de metabolismo de proteína, enfisema moderado, e perda de peso crônica.

Agravo das condições pré-existentes

Pessoas com desordens de pele ou problemas de olho, deterioração de rim ou condição asmática deveriam ter a aprovação do médico antes de exposição a pó de uréia.

2) MEDIDAS DE PRIMEIROS-SOCORROS

Inalação

Remover o indivíduo exposto ao ar livre. Se não estiver respirando, fazer respiração artificial. Se respirar com dificuldade, dê oxigênio. Procure ajuda médica.

Ingestão

Induza o vômito imediatamente de acordo com orientação paramédica. Nunca dê algo pela boca para uma pessoa inconsciente.

Contato com a pele

Lave imediatamente em água corrente por, pelo menos, 15 minutos. Remova a roupa contaminada e os sapatos. Procure ajuda médica. Lave as roupas e os sapatos antes de reutilizá-los.

Contato com os olhos

Lave imediatamente com água corrente por, pelo menos, 15 minutos, abrindo e fechando ocasionalmente as pálpebras. Procure ajuda médica imediatamente.

3) MEDIDAS EM CASO DE INCÊNDIO

Fogo

Não considerado causador de incêndio.

Explosão

Não sujeito a explosão.

Meio de extinção de fogo

Usar qualquer medida apropriada para extinguir o fogo, se ocorrer.

4) MEDIDAS PARA VAZAMENTO ACIDENTAL

Ventilar a área de vazamento. Usar equipamento de proteção pessoal apropriado especificado a seguir. Quando ocorrer o vazamento, recolher o material num container apropriado para descarte posterior, usando um método que não gere lixo.

5) MANUSEIO E ARMAZENAMENTO

Mantenha o material em um container bem fechado, armazenando-o em local fresco, seco em área ventilada. Os containers vazios deste material são tóxicos quando vazios pois retêm resíduos; observe todos os avisos e precauções com relação ao produto.

6) CONTROLE DE EXPOSIÇÃO E PROTEÇÃO PESSOAL

Sistema de Ventilação: um sistema de exaustão local ou geral é recomendado para manter a exposição do usuário(a) a menor possível. O sistema local é preferível porque controla a emissão do contaminante em sua origem, prevenindo dispersão dele numa área maior.

Respiradores pessoais: para as condições de uso em que há exposição à poeira ou vapor, um respirador de meia face contra poeira e vapor é efetiva. Para emergências e instâncias em que não se sabem os níveis de exposição, use um respirador inteiriço de pressão positiva. AVISO: respirador com purificação de ar não são efetivos num ambiente deficientes de oxigênio.

Proteção da Pele: use luvas protetoras e roupas limpas que cubram todo o corpo.

Proteção dos Olhos: use óculos químico-protetores. Mantenha uma fonte para lavar os olhos na área de trabalho.

7) ESTABILIDADE E REATIVIDADE

Estabilidade: Estável debaixo de condições ordinárias de uso e armazenamento.

Produtos de sua decomposição: Uréia se decompõe ao aquecer e pode formar produtos inclusive amônia, óxidos de nitrogênio, ácido cianúrico, gás carbônico.

Polimerização do produto: não ocorrerá.

Incompatibilidade: Uréia reage com hipocloreto de cálcio ou hipocloreto de sódio para formar o tricloreto de nitrogênio explosivo. É incompatível com nitrito de sódio, perclorato de gálio, agentes oxidando fortes (permanganato, dicromato, nitrato, cloro), pentacloreto de fósforo, perchlorato de nitrosyl, tetracloreto de titânio e cloreto de cromo.

Condições a se evitar: incompatibilidades.

8) INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS

Destino no ecossistema: não há registros.

Toxicidade ambiental: não há registros.

9) CONSIDERAÇÕES PARA ELIMINAÇÃO:

Sempre que não for possível salvar a substância para reutilização ou reciclagem, esta deve ser colocada em um aparato aprovado e apropriado para eliminação do lixo. O processamento, o uso ou contaminação deste produto pode alterar a forma de administrar o lixo.

Fonte: Universidade do estado de São Paulo/UNESP

http://www.qca.ibilce.unesp.br/prevencao/produtos/ureia.html



Diante dos fatos, imagino que não me cabe mais nenhum comentário adicional a esses Senhores(as), a não ser dizer que caso aqueles que detém o poder das tomadas de decisões nada façam para deter o inicio do trabalho com Ureia/Diflubenzuron até que se tome uma decisão mais consciente, de fato, se o princípio ativo do Diflubenzuron fosse Carbonato de cálcio, para que apenas cinco funcionários para manipulação em depósito com máscaras especiais, luvas, óculos e outros acessórios. Imagina se o produto para eles pudesse representar perigo à saúde.


Diante do compromisso profissional que tenho, inclusive de consciência, tenho recebido ameaças veladas de ser devolvido nos próximos dias a FUNASA/MS( órgão da administração federal em que sou lotado), simplesmente pelo fato de ter capacidade/conhecimento técnico/científico, coragem, dignidade e compromisso com a população da nossa cidade, até porque minha família(Simas) se encontra aqui desde que os índios Tupinambás e Tamoios habitavam essa região e descende diretamente deles.


Não caí aqui de pára-quedas como alguns poderiam imaginar; essas pessoas sim, se imaginam os donos (as) dessa cidade, se acham acima do bem e do mal, apesar de não serem legisladores, são fazedores de leis próprias, desconsiderando às do ordenamento jurídico, sobretudo a elencada no artigo 1º do Código Civil Brasileiro. Ante o exposto, informo a quem interessar possa, que estou enviando cópia desse também ao MPE, MPT, MPF e tomarei todas as providências cabíveis no âmbito judicial.


Finalmente, desejo agradecer ao Jornal Primeira Hora, pela divulgação desse manifesto, que é de utilidade pública, a minha grande família que está indignada com essa injustiça que temos sofrido, aos muitos amigos que conhecem nosso trabalho íntegro, como o Senhor Gutenberg, dentre tantos outros, aos quais agradeço pela manifestação pública de apoio.



Carlos Simas

Agente de saúde federal/FUNASA-MS

Mat: 2428217

Especialista em Meio Ambiente

Professor Pós-Graduado Ensino Ciências e Biologia

Biólogo Ambiental

Estudante de Direito