domingo, 13 de junho de 2010

Biólogo Carlos Simas de Búzios é Ameaçado e Reage.


Desejo dizer que não tenho como o velho ditado diz: "O Rabo Preso" com ninguém; o nosso único compromisso é com Deus, às pessoas de bem, e com nossa consciência. Não vamos retroagir um só milímetro, até que vejamos em nossa Armação dos Búzios um ambiente político sem "armações" contra o povo mais humilde. Abaixo você pode ver resposta que encaminhamos hoje à mídia local e também cópia ao MP, para ser anexado aos autos da denúncia anterior que já fizemos contra o uso descabido do novo inseticida/larvicida( Diflubenzuron) que seria usado no combate a Dengue, sob risco de prejuízo a saúde do trabalhador( sou um deles), bem como a população em geral.


Se desejar nos apoiar, envie e-mail de repúdio à perseguição contra o biólogo Simas no endereço eletrônico da Prefeitura de Búzios:


http://comunicabuzios.wordpress.com

Veja também essa matéria no Twitter:

twitter.com/biologoSimas


Em relação à matéria sob o título: “Vigilância Sanitária desmente agente de saúde”, veiculada na edição 1363 do Jornal Primeira Hora de Búzios, quero dizer que o desejado desmentido, se fosse possível, se refere à denúncia que fiz nesse conceituado veículo de comunicação na edição 1362, a qual reitero nesse momento, inclusive provando o que declarei com pesquisa realizada pela Universidade do estado de São Paulo/UNESP, a disposição de qualquer pessoa no endereço eletrônico:

http://www.qca.ibilce.unesp.br/prevencao/produtos/ureia.html

Uréia

Sinônimos: Resina de Carbamide; Isourea; diamide de Carbonyl; Carbonyldiamine

Fórmula química: (NH2)2CO

1) IDENTIFICAÇÃO DOS DANOS

AVISO: Danoso se for aspirado ou inalado. Causa irritação à pele, olhos e trato respiratório.

Índices:

Saúde: 0 - nenhum

Flamabilidade: 1 - leve

Reatividade: 0 - nenhum

Contato: 1 - leve

Equipamento a ser usado em laboratório: óculos e avental;

Código de Armazenamento: laranja (armazenamento geral) *Etiqueta deve conter a precaução de se evitar contato com olhos, pele e roupas, respiração da poeira. Deve conter também instruções de se usar com ventilação adequada.

Efeitos potenciais à saúde:

Inalação

Causa irritação ao trato respiratório. Sintomas incluem tosse e aumento da freqüência respiratória.

Ingestão

Irritação das membranas da mucosa devido a hidrólise e formação de ácido no estômago. Doses altas produzem cólicas estomacais, estenose do esôfago, náusea e vômito. Pode causar enxaqueca, confusão e depleção de eletrólito.

Contato com a pele

Causa irritação à pele, sendo os sintomas mais freqüentes vermelhidão, coceira e dor.

Contato com os olhos

Causa irritação, vermelhidão e dor.

Exposição crônica

Um estudo de 67 trabalhadores em um ambiente com concentrações altas de uréia comprovou uma incidência alta de perturbações de metabolismo de proteína, enfisema moderado, e perda de peso crônica.

Agravo das condições pré-existentes

Pessoas com desordens de pele ou problemas de olho, deterioração de rim ou condição asmática deveriam ter a aprovação do médico antes de exposição a pó de uréia.

2) MEDIDAS DE PRIMEIROS-SOCORROS

Inalação

Remover o indivíduo exposto ao ar livre. Se não estiver respirando, fazer respiração artificial. Se respirar com dificuldade, dê oxigênio. Procure ajuda médica.

Ingestão

Induza o vômito imediatamente de acordo com orientação paramédica. Nunca dê algo pela boca para uma pessoa inconsciente.

Contato com a pele

Lave imediatamente em água corrente por, pelo menos, 15 minutos. Remova a roupa contaminada e os sapatos. Procure ajuda médica. Lave as roupas e os sapatos antes de reutilizá-los.

Contato com os olhos

Lave imediatamente com água corrente por, pelo menos, 15 minutos, abrindo e fechando ocasionalmente as pálpebras. Procure ajuda médica imediatamente.

3) MEDIDAS EM CASO DE INCÊNDIO

Fogo

Não considerado causador de incêndio.

Explosão

Não sujeito a explosão.

Meio de extinção de fogo

Usar qualquer medida apropriada para extinguir o fogo, se ocorrer.

4) MEDIDAS PARA VAZAMENTO ACIDENTAL

Ventilar a área de vazamento. Usar equipamento de proteção pessoal apropriado especificado a seguir. Quando ocorrer o vazamento, recolher o material num container apropriado para descarte posterior, usando um método que não gere lixo.

5) MANUSEIO E ARMAZENAMENTO

Mantenha o material em um container bem fechado, armazenando-o em local fresco, seco em área ventilada. Os containers vazios deste material são tóxicos quando vazios pois retêm resíduos; observe todos os avisos e precauções com relação ao produto.

6) CONTROLE DE EXPOSIÇÃO E PROTEÇÃO PESSOAL

Sistema de Ventilação: um sistema de exaustão local ou geral é recomendado para manter a exposição do usuário(a) a menor possível. O sistema local é preferível porque controla a emissão do contaminante em sua origem, prevenindo dispersão dele numa área maior.

Respiradores pessoais: para as condições de uso em que há exposição à poeira ou vapor, um respirador de meia face contra poeira e vapor é efetiva. Para emergências e instâncias em que não se sabem os níveis de exposição, use um respirador inteiriço de pressão positiva. AVISO: respirador com purificação de ar não são efetivos num ambiente deficientes de oxigênio.

Proteção da Pele: use luvas protetoras e roupas limpas que cubram todo o corpo.

Proteção dos Olhos: use óculos químico-protetores. Mantenha uma fonte para lavar os olhos na área de trabalho.

7) ESTABILIDADE E REATIVIDADE

Estabilidade: Estável debaixo de condições ordinárias de uso e armazenamento.

Produtos de sua decomposição: Uréia se decompõe ao aquecer e pode formar produtos inclusive amônia, óxidos de nitrogênio, ácido cianúrico, gás carbônico.

Polimerização do produto: não ocorrerá.

Incompatibilidade: Uréia reage com hipocloreto de cálcio ou hipocloreto de sódio para formar o tricloreto de nitrogênio explosivo. É incompatível com nitrito de sódio, perclorato de gálio, agentes oxidando fortes (permanganato, dicromato, nitrato, cloro), pentacloreto de fósforo, perchlorato de nitrosyl, tetracloreto de titânio e cloreto de cromo.

Condições a se evitar: incompatibilidades.

8) INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS

Destino no ecossistema: não há registros.

Toxicidade ambiental: não há registros.

9) CONSIDERAÇÕES PARA ELIMINAÇÃO:

Sempre que não for possível salvar a substância para reutilização ou reciclagem, esta deve ser colocada em um aparato aprovado e apropriado para eliminação do lixo. O processamento, o uso ou contaminação deste produto pode alterar a forma de administrar o lixo.

Fonte: Universidade do estado de São Paulo/UNESP

http://www.qca.ibilce.unesp.br/prevencao/produtos/ureia.html



Diante dos fatos, imagino que não me cabe mais nenhum comentário adicional a esses Senhores(as), a não ser dizer que caso aqueles que detém o poder das tomadas de decisões nada façam para deter o inicio do trabalho com Ureia/Diflubenzuron até que se tome uma decisão mais consciente, de fato, se o princípio ativo do Diflubenzuron fosse Carbonato de cálcio, para que apenas cinco funcionários para manipulação em depósito com máscaras especiais, luvas, óculos e outros acessórios. Imagina se o produto para eles pudesse representar perigo à saúde.


Diante do compromisso profissional que tenho, inclusive de consciência, tenho recebido ameaças veladas de ser devolvido nos próximos dias a FUNASA/MS( órgão da administração federal em que sou lotado), simplesmente pelo fato de ter capacidade/conhecimento técnico/científico, coragem, dignidade e compromisso com a população da nossa cidade, até porque minha família(Simas) se encontra aqui desde que os índios Tupinambás e Tamoios habitavam essa região e descende diretamente deles.


Não caí aqui de pára-quedas como alguns poderiam imaginar; essas pessoas sim, se imaginam os donos (as) dessa cidade, se acham acima do bem e do mal, apesar de não serem legisladores, são fazedores de leis próprias, desconsiderando às do ordenamento jurídico, sobretudo a elencada no artigo 1º do Código Civil Brasileiro. Ante o exposto, informo a quem interessar possa, que estou enviando cópia desse também ao MPE, MPT, MPF e tomarei todas as providências cabíveis no âmbito judicial.


Finalmente, desejo agradecer ao Jornal Primeira Hora, pela divulgação desse manifesto, que é de utilidade pública, a minha grande família que está indignada com essa injustiça que temos sofrido, aos muitos amigos que conhecem nosso trabalho íntegro, como o Senhor Gutenberg, dentre tantos outros, aos quais agradeço pela manifestação pública de apoio.



Carlos Simas

Agente de saúde federal/FUNASA-MS

Mat: 2428217

Especialista em Meio Ambiente

Professor Pós-Graduado Ensino Ciências e Biologia

Biólogo Ambiental

Estudante de Direito

2 comentários:

Wallace Azione disse...

É aí isso Carlos, não dá mole não!!

abração!!

biologocarlossimas disse...

Muito obrigado meu irmão Wallace. SAÚDE e SUCESSO PARA VOCÊ. Estamos junto!