domingo, 29 de agosto de 2010

Conheça alimentos que melhoram o humor e a disposição.


Por outro lado, dietas com baixo teor de carboidrato favorecem desânimo.




Créd. Foto: Biólogo Carlos Simas


Cada vez mais a ciência vem provando que a composição dos alimentos que você come pode afetar o funcionamento do seu cérebro modificando seu humor, incluindo o estado de alerta e até a percepção à dor.

O que há nos alimentos que conferem tais poderes? A habilidade de alterar a produção e liberação de neurotransmissores, mensageiros químicos que carregam informações de uma célula nervosa para outra. Vamos ver na prática como isso funciona.

1. Aumente seu estado de alerta com proteínas:

Alimentos ricos em proteínas, quando digeridos, se quebram em aminoácidos. Um aminoácido, conhecido como tirosina, pode aumentar a produção de dopamina e adrenalina que são neurotransmissores capazes de aumentar a energia e o estado de alerta.

Alimentos ricos em proteínas incluem peixes, carnes, aves e ovos. Se não for possível ingerir esses alimentos, tente alimentos ricos em proteínas que também contém quantidades significativas de carboidratos como legumes, queijos, leite ou tofu.

2. Para relaxar e diminuir o estresse, coma carboidratos:

A ingestão de carboidratos leva ao aumento nos níveis de insulina que auxiliam na "limpeza" de aminoácidos do sangue, menos do triptofano.

Este aminoácido, uma vez no cérebro, aumenta a produção de serotonina que é um neurotransmissor capaz de reduzir a sensação de dor, diminuir o apetite, produzir sensação de calma e até induzir ao sono.

Dietas com baixo teor de carboidratos, por vários dias, podem fazer com que o humor fique mais depressivo. Alimentos saudáveis ricos em carboidratos incluem pães e biscoitos integrais, massa integral, arroz, cereais e frutas. Ah, e não vamos esquecer do chocolate.

"Dietas com baixo teor de carboidratos, por vários dias, podem fazer com que o humor fique mais depressivo".

3. Ácido fólico também é importante para o humor:

Deficiência de ácido fólico tem sido associada a depressão em alguns estudos, por levar a queda nos níveis de serotonina no cérebro. Quantidades pequenas como 200 microgramas já são suficientes para melhorar o humor e pode ser obtida numa xícara de chá de espinafre cozido ou um copo de suco de laranja.

4. Falta de selênio pode causar mau humor:

Especula-se que o selênio possa ter alguma função neurológica desconhecida, mas seu mecanismo de ação ainda é um mistério. Sabe-se que indivíduos que sofrem de carência de selênio são mais irritados, ansiosos e depressivos, e a suplementação normaliza o humor. Alimentos ricos em selênio são as oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas), atum, semente de girassol, cereais integrais.

5. Coloque ovos em sua dieta e melhore sua memória e concentração:

A colina é uma vitamina do complexo B que está presente em alimentos ricos em colesterol como ovos e fígado. A falta deste componente pode causar comprometimentos da memória e da capacidade de concentração, pois é precursor do neurotransmissor acetilcolina. Não deixa de ser uma boa desculpa para incluir no seu plano alimentar, sem excessos, é claro.

6. Vitamina B6:

Também é um ingrediente necessário na produção de seretonina, portanto, alimentos ricos nessa vitamina podem auxiliar no bom humor. Alguns exemplos ricos em B6 e carboidratos são: bananas, batatas, uva passa, cereais integrais.

Saiba Mais:

7. Cálcio:

Sabe-se que ajuda a reduzir irritabilidade e nervosismo em mulheres na TPM (tensão pré-mentrual). O ideal é ingeri-lo com regularidade, em torno de 1200mg por dia. Alimentos ricos em cálcio são leite, iogurte e queijos.

8. Camomila:

Já era usada desde 1800 para acalmar crises histéricas. Atualmente é usada também para diminuir a ansiedade. Devido a seu efeito anti ? espasmódico auxilia também no alívio de cólicas e problemas digestivos. Para potencializar o efeito calmante, adicione um pouco de mel, devido aos benefícios do carboidrato.

9. Magnésio:

Está envolvido também na regulação de serotonina e, portanto, no controle do humor. Alimentos ricos são cereais integrais e frutas secas.


Fonte: Site Yahoo








sábado, 28 de agosto de 2010

Acidentes Com Abelhas.













Distribuição Geográfica


As abelhas de origem alemã (Apis mellifera mellifera) foram introduzidas no Brasil em 1839. Posteriormente, em 1870, foram trazidas as abelhas italianas (Apis mellifera ligustica). Essas duas subespécies foram levadas principalmente ao sul do Brasil.

Já em 1956, foram introduzidas as abelhas africanas (Apis mellifera scutellata), identificadas anteriormente como Apis mellifera adansonii.

As abelhas africanas e seus híbridos com as abelhas européias são responsáveis pela formação das chamadas abelhas africanizadas que, hoje, dominam toda a América do Sul, a América Central e parte da América do Norte.

O deslocamento destas abelhas foi mais rápido no Nordeste do Brasil, aproximadamente 500 Km/ano, onde o clima é tropical seco; de 200 a 250Km/ano em clima úmido, tais como florestas tropicais da Bacia Amazônica e Guianas; e, em direção ao Paraguai e Bolívia foi de aproximadamente 150 Km/ano e tornou-se zero após os paralelos 33 e 34, entre as províncias de Entre Rios, Santa Fé, Córdoba e São Luiz, na Argentina.


Ações do Veneno


O veneno da Apis mellifera é uma mistura complexa de substâncias químicas com atividades tóxicas como: enzimas hialuronidases e fosfolipases, peptídeos ativos como melitina e a apamina, aminas como histamina e serotonina entre outras. A fosfolipase A2, o principal alérgeno, e a melitina representam aproximadamente 75% dos constituintes químicos do veneno. São agentes bloqueadores neuromusculares. Podendo provocar paralisia respiratória, possuem poderosa ação destrutiva sobre membranas biológicas, como por exemplo sobre as hemácias, produzindo hemólise. A apamina representa cerca de 2% do veneno total e se comporta como neurotoxina de ação motora. O cardiopeptídeo, não tóxico, tem ação semelhante às drogas b adrenérgicas e demonstra propriedades antiarrítmicas.

O peptídeo MCD, fator degranulador de mastócidos, é um dos responsáveis pela liberação de histamina e serotonina no organismo dos animais picados.


Quadro Clínico


As reações desencadeadas pela picada de abelhas são variáveis de acordo com o local e o número de ferroadas, as características e o passado alérgico do indivíduo atingido.

As manifestações clínicas podem ser: alérgicas (mesmo com uma só picada) e tóxicas (múltiplas picadas).


Manifestações


1. Locais


Habitualmente, após uma ferroada, há dor aguda local, que tende a desaparecer espontaneamente em poucos minutos, deixando vermelhidão, prurido e edema por várias horas ou dias. A intensidade desta reação inicial causada por uma ou múltiplas picadas deve alertar para um possível estado de sensibilidade e exacerbação de resposta às picadas subseqüentes.

2. Regionais


São de início lento. Além do eritema e prurido, o edema flogístico evolui para enduração local que aumenta de tamanho nas primeiras 24-48 horas, diminuindo gradativamente nos dias subseqüentes. Podem ser tão exuberantes a ponto de limitarem a mobilidade do membro. Menos de 10% dos indivíduos que experimentaram grandes reações localizadas apresentarão a seguir reações sistêmicas.


3. Sistêmicas


Apresentam-se como manifestações clássicas de anafilaxia, com sintomas de início rápido, 2 a 3 minutos após a picada. Além das reações locais, podem estar presentes sintomas gerais como cefaléia, vertigens e calafrios, agitação psicomotora, sensação de opressão torácica e outros sintomas e sinais.

a) Tegumentares: prurido generalizado, eritema, urticária e angioedema.

b) Respiratórias: rinite, edema de laringe e árvore respiratória, trazendo como conseqüência dispnéia, rouquidào, estridor e respiração asmatiforme. Pode haver bronco-espasmo.

c) Digestivas: prurido no palato ou na faringe, edema no local dos lábios, língua, úvula e epiglote, disfagia, náuseas, cólicas abdominais ou pélvicas, vômitos e diarréia.

d) Cardiocirculatórias: a hipotensão é o sinal maior, manifestando-se por tontura ou insuficiência postural até colapso vascular total. Podem ocorrer palpitações e arritmias cardíacas e, quando há lesões preexistentes (arteriosclrerose), infartos isquêmicos no coração ou cérebro.


4. Reações Alérgicas Tardias


Há relatos de raros casos de reações alérgicas que ocorrem vários dias após a(s) picada(s) e se manifestaram pela presença de artralgias, febre e encefalite, quadro semelhante à doença do soro.

5. Tóxicas

Nos acidentes provocados por ataque múltiplo de abelhas (enxame) desenvolve-se um quadro tóxico generalizado denominado de síndrome de envenenamento, por causa de quantidade de veneno inoculada. Além das manifestações já descritas, há dados indicativos de hemólise intravascular e rabdomiólise. Alterações neurológicas como torpor e coma, hipotensão arterial, oligúria/anúria e insuficiência renal aguda podem ocorrer.


Complicações


As reações de hipersensibilidade podem ser desencadeadas por uma única picada e levar o acidentado à morte, em virtude de edema de glote ou choque anafilático.

Na síndrome de envenenamento, descrita em pacientes que geralmente sofreram mais de 500 picadas, distúrbios graves hidroeletrolíticos e do equilíbrio ácido-básico, anemia aguda pela hemólise, depressão respiratória e insuficiência renal aguda são as complicações mais freqüentemente relatadas.


Remoção dos ferrões


Nos acidentes causados por enxame, a retirada dos ferrões da pele deverá ser feita por raspagem com lâminas e não pelo pinçamento de cada um deles, pois a compressão poderá espremer a glândula ligada ao ferrão e inocular no paciente o veneno ainda existente.


Tratamento e Controle:


Em caso de acidente grave, que envolva muitas picadas e reações alérgicas profundas, conforme descrito acima, deve-se procurar socorro médico urgente, para diagnóstico e eventual tratamento sintomático. O controle desses insetos sociais, extremamente úteis à cadeia alimentar e protegidos por leis federais(lei 9.605/98 e lei 6.938/81), apenas poderá ocorrer, por prevenção, como por exemplo, se evitar adentrar em mata fechada(eco-turismo) sem orientação de profissional capacitado e autorizado legalmente por órgão ambiental, além é claro, de no ambiente doméstico buscar ajuda profissional para remoção de eventuais colméias, evitar de se adentrar em ambiente de mata fechada, com perfumes e fragâncias que possam servir como atrativos, não gritar e nem realizar movimentos bruscos, pois também atraem esses insetos. Quanto ao mais boa sorte e Deus nos proteja.


Fonte: Site da Saúde/Rj, parte tratamento e controle: Biólogo Ambiental Carlos Simas.





sexta-feira, 27 de agosto de 2010

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Água Fluoretada-Saiba a Verdade.


O fluoreto é um veneno cumulativo. Somente 50% do fluoreto que nós ingerimos a cada dia é excretada através dos rins, o restante se acumula em nossos ossos, na hipófise e outros tecidos. Se os rins são danificados, o acumulo do fluoreto pode aumentar.



O nível de fluoreto colocado na água (1 ppm) é 100 vezes mais alto que o normalmente encontrado no leite materno (0,01 ppm) (Instituto de Medicina, 1997). Não exisem benefícios, somente riscos para crianças que ingerem este elevado nível de fluoreto numa idade tão precoce (esta é uma idade onde a susceptibilidade às toxinas ambientais é particularmente alto).




O fluoreto é biologicamente ativo, mesmo em baixas concentrações. Ele interfere com os ligamentos de hidrogênio que é o centro da estrutura e funções das proteínas e ácidos nucleicos. Assim, o fluoreto tem o potencial de perturbar o processo vital no organismo.


O fluoreto inibe as enzimas em testes de laboratório (Waldbott,1978), nas bactérias da cavidade oral (Featherstone, 2000), no crescimento dos dentes (Denbesten, 1999), nos ossos (Krook e Minor, 1998) e em outros tecidos (Luke, 1998).


O fluoreto mostrou ser mutagênico, provoca danos cromossômicos e interfere com as enzimas envolvidas no reparo do DNA, numa variedade de inseto, cultura de tecidos e em estudos animais (DHSS, 1991, Mihashi e Tsutsui, 1996).




O fluoreto administrado em altas doses em animais disseminou a destruição no sistema reprodutivo - tornando o esperma não-funcional e aumentando o índice de infertilidade (Chinov et al, 1995; Kumar e Susheela, 1994; Chinoy e Narayana, 1994; Chinoy e Sequeira, 1989). Num recente estudo dos EUA, foi encontrado um aumento da taxa de infertilidade entre mulheres que vivem em áreas com 3 ou mais ppm de fluoreto na água.



Segundo este último estudo, o qual foi publicado no Jornal de Toxicologia e Saúde Ambiental, “muitas regiões mostraram uma associação de diminuição da TFR (índice total de fertilidade) com o aumento do nível de fluoreto“ (Freni, 1994).



O fluoreto forma complexos com um grande número de metais, aos quais se incluem metais que são necessários no corpo (como cálcio e magnésio) e metais (como chumbo e alumínio) que são tóxicos para o nosso corpo. Isto pode causar uma variedade de problemas. Por exemplo, o fluoreto interfere com enzimas onde o magnésio é um importante co-factor, e pode ajudar o aumento de alumínio nos tecidos, onde o alumínio contrariamente não iria.



Em ratos que foram alimentados por um ano com 1 ppm de fluoreto na água bi-destilada e deionizada, usando fluoreto de sódio ou fluoreto de alumínio, tiveram mudanças morfológicas nos rins e cérebro e tiveram um aumento no nível de alumínio presente em seus cérebros (Varner et al., 1998). O alumínio no cérebro é associado com o mal de Alzheimer.


O fluoreto e o complexo do fluoreto de alumínio interagem com a G-proteína e, assim, tem o potencial de interferir com muitos hormônios e alguns sinais neuroquímicos (Struneka e Patocka, 1999).



O fluoreto de alumínio foi recentemente nominado pela Agência de Proteção Ambiental (EPA) e pelo Instituto Nacional de Ciencias e Saúde Ambiental (NIHES) para testes pelo Programa Nacional de Toxicologia. Segundo o EPA e NIHES, o fluoreto de alumínio atualmente tem uma “alta prioridade nas pesquisas da saúde“ devido à sua “conhecida neurotoxicidade“ (BNA, 2000). Se o fluoreto é adicionado na água, a qual contém alumínio, o complexo do fluoreto de alumínio se formará.



A experimentação animal mostra que a exposição ao fluoreto altera o comportamento mental (Mullenix et al., 1995); em doses pre-natais, os ratos demonstraram um comportamento hiperativo. Nas doses pos-natais se verificou uma hipoatividade (isto é, baixa atividade ou síndrome da “batata de sofá“
).


Os estudos de Jennifer Luke (1997) mostraram que o fluoreto acumula na glândula hipófise humana a níveis muito elevados. Na sua tese de Ph.D., Luke também mostrou em estudos animais que o fluoreto reduz a produção de melatonina e leva a um precoce princípio da puberdade.


Em três estudos da China mostraram um abaixamento do Q.I. em crianças associadas com a exposição ao fluoreto (Li et al., 1991); isso indica que mesmo em níveis moderados de exposição ao fluoreto (e.g. 0,9 ppm na água) pode exacerbar os defeitos neurológicos da deficiência de iodo, que inclui diminuição do Q.I., e retardo mental. (segundo o CDC, desde 1970, a deficiência de iodo foi quase quadruplicada nos EUA, com quase 12% da população, até então, deficiente de iodo.



Logo, no Século 20, o fluoreto foi prescrito por um grande número de doutores europeus para reduzir a atividade da glândula tireóide para aqueles que sofriam do hipertireoidismo (tireóide muito ativa) (Merck index, 1960, p.952; Waldbott, et al., 1978, p.163). Com a fluoretação da água, nós forçamos as pessoas a beber uma medicação tireóide-depressiva que poderia servir a promover altos níveis de hipotireoidismo (baixa atividade da tireóide) na população, e todos os problemas subseqüentes relatados dessa desordem. Tais problemas incluem a depressão, fatiga, ganho de peso, dores nos músculos e articulações, aumento dos níveis de colesterol e doenças cardíacas.



Convém anotar que segundo o Dept. de Saúde e Serviços Humanos (1991), a exposição ao fluoreto em comunidades fluoretadas é estimado de aproximadamente 1,58 a 6,6 mg/dia, que é um índice que realmente sobrepõem a dose (2,3 - 4,5 mg/dia) mostrando uma diminuição do funcionamento da tireóide humana (Galletti e Joyet, 1958). Este é um fato notável, e certamente merece grande atenção, considerando o desenfreado e crescente problema do hipotireoidismo nos EUA. (em 1999 a segunda droga mais prescrita do ano foi Synthroid, que é um hormônio substituto, droga usada para tratar uma baixa atividade da tireóide).


Alguns dos primeiros sintomas da fluorose esquelética, uma doença dos ossos e articulações induzida pelo fluoreto que atinge milhões de pessoas na Índia, China e África, e imita os sintomas das artrites. Segundo uma revisão sobre a fluoretação feita pelo “Jornal da Sociedade Americana de Química“, por que alguns dos sintomas clinicos imita as artrites, as primeiras duas fases clínicas da fluorose esquelética poderiam ser facilmente confundidas com outras doenças. (Hileman, 1988).


Partes de alguns estudos foram feitos para determinar a extensão desta confusão de diagnóstico, e se a alta prevalência de artrite na América (mais de 42 milhões de americanos) é relacionada com a nossa crescente exposição ao fluoreto, que é altamente plausível. As causas de muitas formas de artrite (e.g., osteoartrites) são desconhecidas.



Em alguns estudos, quando altas doses de fluoreto foram usadas em experiências no tratamento de pacientes com osteoporose, num esforço para endurecer seus ossos e reduzir os índices de fraturas, realmente levou a um AUMENTO do número de fraturas nos quadrís (Hedlund e Gallagher, 1989; Riggs et al., 1990).


Dezoito estudos (quatro não publicados, incluindo um abstrato), desde 1990, examinaram a possível relação da fluoretação e um aumento das fraturas nos quadrís entre os idosos. Dez destes estudos encontraram uma associação, e em oito não. Um estudo encontrou um aumento relacionado às doses nas fraturas dos quadrís, quando a concentração do fluoreto subiu de1 ppm para 8 ppm (Li et al., 1999, publicado).


fratura dos quadrís é um seríssimo problema para os idosos, como um quarto destes que tem a fractura dos quadrís morrem dentro de um ano da operação, enquanto 50% nunca recuperam uma existência independente. (todos os 18 estudos são referidos num grupo na respectiva seção).



Um estudo animal (Programa Nacional de Toxicologia, 1990) mostra o aumento da osteosarcoma (câncer dos ossos) relacionado com as doses em ratos machos. O achado inicial deste estudo foi a “clara evidência da carcinogenidade “achado que foi logo degradado conspicuamente à “evidência equivocal“ (Marcus, 1990). A União Profissional dos Quarteis Generais pediu que o congresso estabelecesse uma revisão independente dos resultados destes estudos (Hirzy 2000).


Dois estudos epidemiológicos mostraram uma possível associação (do qual alguns foram desconsiderados: Hoover, 1990 e 1991) entre osteosarcoma em homens jovens e habitantes em áreas fluoretadas (Instituto Nacional do Câncer, 1989 e Cohn, 1992). Outros estudos não encontraram esta associação.



A fluoretação é anti-ética porque não estão pedindo aos indivíduos o consenso, informado antes da medicação. Esta é uma prática standard para toda medicação.


Enquanto os plebiscitos são preferenciais para impor as políticas do governo central, ele leva ainda o problema dos direitos individuais contra a decisão da maioria. Por outro lado, faz um eleitor ter o direito de requerer que seu vizinho beba um certo medicamento (mesmo se é contra a vontade do vizinho)?




Algumas pessoas se apresentam altamente sensíveis ao fluoreto, como mostrado pelos casos estudados e pelos estudos a duplo cego (Waldbott, 1978 e Moolenburg, 1987). Isto pode relatar a interferência do fluoreto com seus níveis hormonais, incluindo aqueles produzidos pela sua glândula tireóide. Nós, como uma sociedade, podemos forçar essas pessoas a beber o fluoreto?




Segundo a Agência para Substâncias Tóxicas e Registro de Doenças (ATSDR, 1993) algumas pessoas são particularmente vulneráveis aos efeitos tóxicos do fluoreto; estas incluem:idosos, diabéticos e pessoas com baixo funcionamento renal. Ainda, podemos em boa consciência forçar estas pessoas a ingerir o fluoreto como uma base diária?




São também vulneráveis aqueles que sofrem de mal-nutrição (por exemplo, cálcio, magnésio, vitamina C, vitamina D e deficiência de iodo e proteínas e dietas pobres). Daqueles, os mais prováveis que sofrem de mal-nutrição são os pobres, que é precisamente o povo e que será o alvo das novas propostas de fluoretação (Saúde Oral na América, maio 2000). Enquanto um risco elevadíssimo, famílias pobres são menos capazes de ter recursos para usar medidas de anulação dos riscos (por exemplo, água mineral em garrafas, ou equipamento de filtragem).




Como a decadência dental é mais concentrada em comunidades pobres, nós deveríamos gastar os nossos esforços tentando aumentar o acesso à cura dental para as familias pobres. A real “crise da saúde oral“ que existe hoje nos EUA, não é uma falta de fluoreto, mas pobreza e falta de um seguro dental.




A fluoretação foi declarada inefetiva para prevenir um dos mais sérios problemas da saúde oral enfrentados pelas crianças pobres, a saber, a decadência dos dentes provocada pela mamadeira dos bebês, contrariamente conhecida como cáries da primeira infância. (Jones, 2000).




Uma vez colocado na água, é impossível de controlar a dose que cada indivídio recebe. Isto ocorre porque algumas pessoas (por exemplo: os trabalhadores braçais, atletas e diabéticos) bebem mais água que outras, e porque nós recebemos o fluor através da água canalizada e outros da água armazenada em tanques. Outras fontes de fluoreto incluem alimentos e bebidas processadas com a água fluoretada, produtos dentais fluoretados e resíduos de pesticidas nos alimentos.




Fonte:


http://au.answers.yahoo.com/question/index?qid=20080108155018AAO74sP






















































Reciclagem de Óleo de Cozinha


Participe com a COOPERABÚZIOS, na preservação do meio ambiente. Essa ONG trabalha com o apoio de diversos orgãos governamentais como UFRJ e INEA, e portanto é certificada e habilitada para oferecer treinamento àqueles que trabalham e se interessam por reciclagem de materiais. Em relação ao óleo de cozinha que você/família, normalmente jogam fora, deve ser acondicionado em vasilhame PET e depois entregue, para ser reciclado e virar sabão. O sabão produzido é ecológico, portanto o óleo de cozinha saturado retorna à sociedade em forma de subproduto inofensivo à natureza.


A parte mais interessante é que esse processo gera trabalho e renda, fator primordial para que qualquer projeto ambiental dê certo, pois o subproduto sabão é vendido na localidade a preços populares, retro alimentando o sistema.
Veja agora o motivo pelo qual, deve participar desse projeto: Cada litro de óleo despejado no esgoto tem potencial para poluir cerca de um milhão de litros de água, o que equivale à quantidade que uma pessoa consome ao longo de 14 anos de vida. Se for para a rede de esgoto, o óleo também encarece o tratamento dos resíduos em 45%. Prejuízos do óleo de fritura ao meio ambiente:






Subprodutos do óleo de cozinha saturado, produzidos pela COOPERABÚZIOS.


• O óleo impermeabiliza o solo podendo ocasionar o aumento das enchentes.

• O óleo cria uma fina camada na superfície da água, prejudicando a oxigenação da água dos rios e lagoas causando danos à vida aquática.


• O óleo causa mau cheiro e poluição.


• O óleo quando descartado no esgoto doméstico pode causar entupimento das tubulações causando refluxo do esgoto.


Como Lidar com o problema? Dicas para entregar seu óleo usado de fritura :

• O óleo deve ser armazenado, de preferência, em garrafas de plástico transparente.


• Não é preciso peneirar o óleo.

• Os resíduos do alimento também são aproveitados na reciclagem.
Interessou-se pelo assunto? Então ligue que iremos até você.


Participe: (22) 9832-1778
COOPERABÚZIOS ONG/SEM FINS LUCRATIVOS CNPJ: 07358210/0001-66

Ou envie e-mail à este Blog: biocarlossimas@gmail.com
Tel: (22) 9905-2882


“Diminuir os impactos ambientais no planeta-Ainda é possível.”














terça-feira, 24 de agosto de 2010

Dilma ganha no 1o turno, rejeição a Serra sobe, aponta Sensus.

24 de agosto de 2010 12:55


reuters

Por Natuza Nery

BRASÍLIA (Reuters) - A candidata do PT, Dilma Rousseff, consolidou a sua perspectiva de vitória no primeiro turno retirando votos de seu oponente do PSDB, José Serra, informou nesta terça-feira pesquisa do instituto Sensus encomendada pela Confederação Nacional do Transporte.

Na sondagem, a petista sobe e o tucano cai. Dilma atingiu 46,0 por cento das intenções de voto --contra 41,6 por cento na sondagem anterior--, enquanto ele obteve 28,1 por cento, ante 31,6 por cento na sondagem anterior. Ela recebeu 55 por cento dos votos válidos, portanto venceria em 3 de outubro. Já Marina Silva oscilou para baixo, 8,1 por cento --ela tinha 8,5 por cento no levantamento anterior.

"A Dilma capitalizou bem a popularidade de Lula, conseguiu se colocar como braço direito dele... Cada vez mais ela capitaliza o desempenho econômico do país, ela incorporou bem o papel de candidato do presidente" disse o presidente da CNT, Clésio Andrade.

A diferença entre os dois, de 17,9 pontos, repete a distância capturada pelo último Datafolha (17 pontos), que também apontou definição de primeiro turno. Segundo o Sensus, Dilma venceria também no segundo; por 52,9 por cento a 34,0 por cento. "Ela está tirando votos do Serra", afirmou Ricardo Guedes, diretor do Sensus.

Mulheres e rejeição:

Dilma também lidera entre as mulheres, eleitorado-foco de sua campanha: 42,9 por cento a 27,4 por cento. No universo masculino, ela está à frente por 49,4 por cento, enquanto 28,7 por cento dos homens disseram votar nele.

A rejeição a Serra foi o dado mais surpreendente no atual levantamento: deu um salto de 10 pontos, passando de 30,8 por cento para 40,7 por cento.

"Pela nossa experiência de 23 anos de pesquisas, nunca vimos uma pessoa se eleger com mais de 40 por cento de rejeição", ponderou Guedes. "Acima de 35 por cento já é considerado ponto crítico."

Quando o entrevistador não mostra o nome dos candidatos, na chamada resposta espontânea, considerada indicação de um voto mais consolidado, Dilma subiu para 37,2 por cento (antes 30,4 por cento da sondagem anterior), enquanto Serra oscilou para 21,2 por cento (ante 20,2 pro cento). Marina também oscilou positivamente 1 ponto, para 6,0 por cento.

Ajuda na TV:

Para a CNT/Sensus, "a televisão já está decidindo a eleição". Dos 42,9 por cento que viram ao menos trechos do horário eleitoral gratuito, 56 por cento acharam a peça publicitária de Dilma melhor, contra 34,3 que disseram o mesmo sobre o tucano.

"Há uma transferência de voto extremamente forte (de Lula para Dilma)", afirmou Ricardo Guedes. "O programa eleitoral a está ajudando."

E essa transferência segue na onda da altíssima popularidade de Lula e do governo. Segundo o Sensus, 77,5 por cento consideram positiva a avaliação do governo (ante 76,1 por cento na sondagem anterior) e apenas 4,6 por cento negativa (ante 4,4 por cento). A única região do país em que Serra lidera a disputa é no Sul. Ele possui 47,8 por cento e Dilma, 35,7 por cento. Marina: 6,9 por cento

No Sudeste, onde a campanha oposicionista esperava um resultado mais equilibrado, a petista lidera com 39,2 por cento, Serra tem 27,6 por cento e Marina, 9,7 por cento. No Nordeste, onde a ex-ministra da Casa Civil aproveita mais a associação com o presidente, ela fica com 62,1 por cento das intenções de voto. Serra e Marina aparecem com 19,8 por cento e 6,4 por cento, respectivamente.

No Norte e no Centro Oeste, Dilma Rousseff leva 45 por cento e Serra, 25,5 por cento. Marina possui 7,6 por cento nas duas regiões.

A expectativa de vitória também dá ampla vantagem a ela. Quase 62 por cento acreditam que ela ganhará as eleições, contra 47,1 por cento da sondagem anterior. Apenas 21,9 por cento dizem o mesmo sobre o Serra, ante 30,3 por cento da pesquisa passada.

A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais. Foram entrevistadas 2 mil pessoas, em 136 municípios de 24 Estados, entre os dias 20 e 22 de agosto de 2010.

(Edição de Alexandre Caverni)


Nossa opinião:

Não poderia ser diferente, pois José Serra, como temos escrito continuamente, num ato diabólico, demitiu mais de 5.000 mata mosquitos da FUNASA em 30 de Junho de 1999, causando o caos entre milhares de famílias. Muitos morreram doentes, outros se suicidaram e tantos outros no desespero envidaram à caminhos tortuosos.

Não houve qualquer indenização trabalhista, apesar de ficar comprovado cientificamente muito antes, que nossa categoria estava doente, contaminada com inseticidas em saúde pública, como malathion, fenitrothion, Abate entre tantos outros. Ficamos quatro anos desempregadoe e quem sobreviveu doente à catástrofe, foi reintegrado e regularizado em 2003, quando da eleição do presidente Lula.

A categoria agora, com pessoas na faixa dos 55 anos, a maioria com problemas sérios de saúde, aguarda mudança de regime jurídico e reconhecimento legal para que possam definitivamente ter dignidade, após mais de vinte anos de trabalho árduo na esfera federal, na prevenção de surtos epidêmicos, como dengue, malária, cólera, leshimaniose e tantos outros, sem qualquer direito trabalhista.

Mais uma vez desejamos frisar a sensibilidade feminina, pois lideram na pesquisa Sensus contra Serra, a favor da Dilma. Mulher tem inteligência, mulher tem alma, mulher tem coração. Aprendamos nós homens a respeitá-las!

_José Serra, quem pôde fazer e não fez, perdeu a vez, talvez, se depender de nós, mata mosquitos da FUNASA, para sempre!
É Dilma NELLE!

Fonte: Site Yahoo, nossa opinião Biólogo Carlos Simas

sábado, 21 de agosto de 2010

Dilma abre 17 pontos para Serra e venceria no 1o turno, diz Datafolha.



SÃO PAULO (Reuters) - A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, abriu 17 pontos de vantagem para seu principal adversário, José Serra (PSDB), e venceria a eleição presidencial de outubro ainda no primeiro turno, mostrou pesquisa do instituto Datafolha neste sábado.

O levantamento, publicado pelo jornal Folha de S. Paulo, apontou crescimento de seis pontos percentuais de Dilma, que agora tem 47 por cento das intenções de voto, contra 41 por cento no levantamento anterior realizado no início do mês.

Já Serra caiu três pontos em relação à sondagem anterior, feita entre 9 e 12 de agosto, e agora tem 30 por cento. A candidata do PV, Marina Silva, caiu um ponto e agora tem 9 por cento da preferência do eleitorado, segundo o instituto.

Nenhum dos demais candidatos conseguiu somar 1 por cento no levantamento. Quatro por cento dos entrevistados declararam voto nulo ou branco, contra 5 por cento na pesquisa anterior, e 8 por cento declarou-se indeciso, contra 9 por cento na sondagem do início do mês.

Segundo o Datafolha, quando considerados somente as intenções de votos válidos, ou seja, desconsiderados os brancos e nulos, Dilma fica com 54 por cento, o que lhe garantiria vitória no primeiro turno, marcado para 3 de outubro.

A simulação de segundo turno entre Dilma e Serra feita pelo Datafolha, mostra a petista com 53 por cento das intenções de voto, contra 39 por cento de Serra. Quatro por cento votariam branco ou anulariam e outros 4 por cento disseram não saber. Na sondagem anterior do instituto, a petista aparecia com 49 por cento, contra 41 por cento do tucano em um eventual segundo turno.

O Datafolha ouviu 2.727 pessoas em todo o país na sexta-feira, 20 de agosto, após o início da propaganda eleitoral no rádio e na TV. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

(Por Eduardo Simões)

Nossa opinião:

Nosso processo de amadurecimento político avança à passos lentos, porém , muito já andamos e o povo não é mais tão inocente, como em passado até recente. José Serra não engana ninguém, todos sabem da sua pretensão, presunção e obstinação em ser presidente da república, unicamente para servir ao seu cacique Fernando Henrique Cardoso.

Esse Senhor em 30 de junho de 1999, demitiu sem nenhuma responsabilidade, sem nenhuma indenização trabalhista, mais de 5.000 mata mosquitos da FUNASA, deixando na miséria milhares de famílias com crianças desamparadas inclusive. Além disso, dois anos depois, aproximadamente, devido sua covardia com aqueles importantes e humildes trabalhadores, sua irresponsabilidade política, a Dengue explodiu no Rio de janeiro, matando inclusive muitas pessoas inocentes, havendo até Dengue hemorrágica.

Quer ser presidente da república ainda Senhor José Serra? Quem pôde fazer e não fez, perdeu a vez, quem sabe, para sempre!


Foi o presidente Lula, que em 2003, reintegrou esses trabalhadores, e fazendo justiça os regularizou. Portanto, nossa categoria, dos agentes de combate as endemias, têm uma dívida de gratidão ao governo Lula, e compromisso com ele.

Nem pensar em José Serra.

É Dilma NELLE!



domingo, 15 de agosto de 2010

Manteiga guarda o segredo do mais novo biodiesel.










A manteiga não é o combustível do futuro, mas é possível extrair dela um bom combustível à base de diesel. "Queríamos mostrar que isso era possível", disse Michael J. Haas, pesquisador bioquímico do departamento de agricultura dos Estados Unidos."É algo peculiar", reconheceu ele a respeito da pesquisa laticínio para diesel, que foi publicada em junho em "Journal of Agricultural and Food Chemistry".

O incentivo foi uma escultura de 370 quilos de Benjamin Franklin e o Sino da Liberdade. Todos os anos, a feira Pennsylvania Farm Show, realizada em Harrisburg, manda produzir uma obra de arte feita de manteiga. Em 2007, os organizadores solicitaram sugestões sobre o que fazer com as obras depois que a feira terminasse. Haas sugeriu produzir biodiesel a partir das obras, e isso foi feito.

"Isso nunca havia sido relatado na literatura científica", disse ele. Haas colaborou com a BlackGold Biofuels, uma pequena empresa da Filadélfia que desenvolveu um processo para fazer biodiesel a partir de resíduos de gorduras, óleos e sebos não-comestíveis. "Manteiga estragada é uma gordura", disse Emily Landsburg, executiva-chefe da BlackGold.

Depois de desmontar a escultura - "Não foi um dia comum no escritório", lembrou-se Landsburg -, os pesquisadores da BlackGold derreteram a manteiga, removeram a água e inseriram o restante em seu processo de conversão química.

A estrutura de uma molécula de gordura, óleo ou sebo se parece com uma água-viva. A cabeça da molécula é um composto conhecido como glicerina, e cadeias de ácidos graxos em ramos se penduram da glicerina. Na conversão, uma molécula de metanol substitui a glicerina como a cabeça da molécula, produzindo diesel.

O biodiesel já é produzido a partir de óleo de cozinha, mas a BlackGold diz que seu processo é muito mais flexível na amplitude de materiais que pode converter em combustível - além de não ser prejudicado quando a gordura se estraga.

Na escala molecular, as cadeias de ácidos graxos começam a se soltar das glicerinas. Os 370 quilos de manteiga acabaram se transformando em cerca de 285 litros, uma mistura de biodiesel e um óleo combustível menos qualificado. As glicerinas decapitadas também são coletadas para uso em indústrias de tratamento de esgoto.

Os pesquisadores não estão defendendo desviar os mais de 450 milhões de quilos de manteiga produzidos anualmente nos Estados Unidos para a produção de combustíveis.
"O custo da manteiga comestível é alto demais", afirmou Haas. E Landsburg reconheceu: "O número de esculturas de manteiga rançosa nos EUA provavelmente não é muito significativo".
Mas sua empresa vê os resíduos da agricultura, incluindo aquele de fazendas de laticínios, como uma fonte potencial de materiais que poderiam ser transformados em combustível.

"Nós assumimos o projeto como uma demonstração da força de nossa tecnologia; ela pode lidar com todo tipo de resíduos de baixa qualificação", explicou Landsburg.
São Francisco acabou de construir uma fábrica de biodiesel que usa a tecnologia da BlackGold, a primeira de seu tipo, com a esperança de converter raspas de panelas e as chamadas gorduras marrons - mais sujas que o óleo de cozinha usado - de restaurantes em combustível.

"Estamos conduzindo testes com gorduras marrons agora mesmo", afirmou Tyrone Jue, porta-voz da comissão municipal de utilidades públicas. "Estamos confiantes de que estaremos funcionando nos próximos dois meses, ou até mesmo no próximo mês".

A fábrica poderá, eventualmente, extrair 1.250 litros de biodiesel por dia, partindo de 45 mil litros de água residual gordurosa. "Estamos tentando fechar o ciclo na cidade", disse Jue. "O que você jogaria fora se torna uma fonte de recursos".


Nossa opinião:



Comentamos no Twitter, sobre a questão da reciclagem, uma vez que o G1 traz uma matéria sobre os lixões no Brasil. Ao vermos uma matéria como essa acima, percebemos o quanto o Brasil pode crescer economicamente. Tudo, ou quase tudo pode e deve ser reciclado. Somos, ou deveríamos ser o maior produtor mundial de alimentos. O biodiesel pode ser feito de praticamente qualquer óleo ou gordura; quanto em toneladas deve ir aos lixões, aos ecossistemas hídricos, contaminando o meio ambiente, poluindo água, ar e solo, causando impactos ambientais graves? É hora de inteligência, honestidade e muito trabalho, pois somos no contexto, potência mundial.



Fonte Site Yahoo, nossa opinião Biólogo Carlos Simas






sábado, 14 de agosto de 2010

Alimentos que Ajudam Melhorar o Humor. (Alimentos Funcionais)

Nesta época de campanha política, muita gente está com os nervos à flôr da pele. Portanto, vai aí nossa contribuição, uma reedição de matéria publicada no mês três( março ), para um relaxamento, por meio de uma alimentação saudável.


Não importa a idade, sexo, religião ou filosofia de vida. O fato é que ninguém está imune ao mau-humor, desânimo ou indisposição. As pedras no caminho podem fazer com que as pessoas se sintam tristes e sem vontade de fazer nada. Felizmente existe solução para o problema.

No post de hoje vamos apresentar o que falta na sua vida para que você se sinta mais feliz. Não, não pense que estamos propondo auto-ajuda ou terapia. Nossa dica para se sentir mais feliz é comer bem e corretamente. Pesquisas mostram que existem determinados tipos de alimento que ajudam a elevar o funcionamento do sistema nervoso, acabar com a tristeza e a irritação.





Um dos alimentos que mais ajuda a acabar com o nervosismo é o alface. Segundo especialistas, o talo da verdura tem lactucina, uma substância que funciona como calmante. Além desse componente o alface também contém fosfato( fósforo P), uma substância que ajuda a prevenir o orgânismo contra a depressão, confusão mental e cansaço.






Outra verdura muito boa para os ânimos é o espinafre. Isso porque ele contém potássio e ácido fólico, que protege o organísmo da depressão. Magnécio, fosfato, e vitaminas A, C e complexo B também podem ser encontrados no espinafre e ajudam a estabilizar a pressão.


Além de verduras, os frutos do mar também podem ser considerados uma injeção de ânimo. Esse tipo de alimento contém zinco e selênio. Essas substâncias agem no cérebro e diminuem o cansaço e ansiedade. Além de conter proteína e gordura saudável (ÔMEGA 3).

Impossível falar de alimentos que fazem bem para o humor e para a saúde, sem falar das frutas. Quando estiver se sentindo para baixo, faça uma pausa e deixe a tristeza de lado comendo um cacho de uvas ou uma jabuticaba. Essas frutas contém complexo B, uma vitamina que combate a depressão e auxilia no funcionamento do sistema nervoso.







Você também pode recorrer a uma deliciosa laranja ou banana. Na laranja é possível encontrar cálcio, um componente que funciona como relaxante muscular e combate o stress. A banana pode ajudá-lo a dormir tranquilo e diminuir a ansiedade.






Os problemas e suas consequências são inerentes ao ser humano, é importante que se tenha consciência de que a vida não é perfeita para ninguém e que apenas se alimentar bem não trás felicidade, mas contribui... e muito!




Carlos Simas
Especialista em Meio Ambiente
Professor Pós-Graduado Ensino Ciências e Biologia
Biólogo Ambiental
Especialista em Controle de Vetores - UFRJ
Estudante de Direito












sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Benedita: ‘O senador para quem eu faço campanha e voto é o Picciani’







A candidata a deputada federal Benedita da Silva (PT) e a prefeita de São Gonçalo, Aparecida Panisset (PDT), caminharam juntas com o candidato ao Senado Jorge Picciani (PMDB) nesta sexta-feira, 13 de agosto, por Niterói. O dia ainda estava escuro quando Picciani, Panisset e Benedita, juntos, começaram a distribuição de santinhos do peemedebista em frente à estação das barcas de Niterói.

Após duas horas de panfletagem com Panisset e Benedita, Picciani caminhou pelo Centro com a petista e depois pelos bairros Ponto sem Rés e Fonseca. Benedita fez questão de manifestar mais uma vez seu apoio irrestrito a Picciani nas eleições para o Senado.

“Por que estou na campanha do Picciani? Porque ele sempre se fez presente como parceiro nas campanhas do Partido dos Trabalhadores e, se não fosse a parceria com ele, não teríamos o apoio do PMDB nas vitórias de Lula para a presidência. Tenho certeza que essa aliança garante que a Dilma (Rousseff) será a nossa presidente, que (Sérgio) Cabral continue no Rio de Janeiro e que Picciani chegue ao Senado e eu à Câmara Federal. Estou, por convicção, na campanha de Picciani porque reconheço que desde os primeiros momentos difíceis que o PT teve em sua campanha, eu tive o Picciani ao lado como parceiro. O senador para quem eu faço campanha e voto é o Picciani”.

O peemedebista disse às pessoas que passavam e seguiam para trabalhar no Rio que, com ele no Senado, São Gonçalo, Niterói, Itaboraí, Rio Bonito e Maricá têm muito a ganhar, principalmente quanto à questão dos transportes.

“Niterói necessita de investimentos, sobretudo em infraestrutura, em trânsito e em transporte público. Precisa melhorar os serviços de barcas, levar o metrô para São Gonçalo e para Itaboraí. Niterói é a cidade-mãe do Rio de Janeiro, já que foi capital um dia, e precisa retomar o ritmo de investimentos. Vivemos momentos difíceis com a intensidade das chuvas, mas demos um jeito com investimento e o povo brasileiro sabe que trabalhando e lutando é que se avança. Quero defender o Rio de Janeiro no Senado e trazer investimentos para o estado, para Niterói e para São Gonçalo”.

Fotos em www.flickr.com/jorgepicciani