domingo, 26 de fevereiro de 2012

Governo confirma 2 mortes em base brasileira na Antártida.


Fogo começou na casa de máquinas Estação Antártica Comandante Ferraz e ainda deixou um militar ferido



Foto: AP

Cientistas que estavam na estação contam que os dois sargentos não conseguiram sair do local

Dois sargentos da Marinha brasileira morreram nesta madrugada em um incêndio que atingiu a Estação Comandante Ferraz, base científica e militar brasileira na Antártida. Havia 60 pessoas na estação, metade delas pesquisadores de universidades nacionais, que escaparam ilesos. Um terceiro militar teve ferimentos.

Leia também: Militares são evacuados de estação devido a ‘condições adversas’

O ministro da Defesa, Celso Amorim, confirmou a morte do suboficial Carlos Alberto Vieira Figueiredo e do sargento Roberto Lopes dos Santos. Eles participavam do grupo de apoio que tentava apagar o incêndio originado na casa de máquinas da base.

“Num ato de heroísmo, eles estiveram justamente no local de maior risco, na tentativa de debelar o incêndio e não conseguiram. Todos os pesquisadores e funcionários civis foram resgatados e já se encontram no continente, no Chile, e amanhã já devem estar de volta ao Brasil”, disse Amorim.

Foto: Reuters

Funcionários da base militar trabalham para apagar o fogo

Segundo o ministro, 12 militares da Marinha, inclusive o comandante da base, ficaram na base chilena, que é vizinha à brasileira na Ilha Rei George, na Antártica. Eles devem retornar a Comandante Ferraz, para ajudar no trabalho de perícia e no resgate dos dois corpos. Um navio da Marinha brasileira também se deslocou para a Ilha Rei George, para ajudar na tarefa.

Em nota, a presidenta Dilma Rousseff também destacou o heroísmo dos militares no combate ao incêndio e manifestou sua solidariedade e do seu governo com as famílias dos dois militares, "mortos ao servir a Pátria". "A presidenta reafirma a importância do programa de pesquisas desenvolvido na Estação e elogia a abnegação e o desprendimento dos brasileiros que lá trabalham. A presidenta manifesta, ainda, a firme disposição do País de reconstruir a Estação Antártica Comandante Ferraz", diz a nota.

Em telefonema hoje à tarde, Dilma agradeceu ao presidente do Chile, Sebastián Piñera, o apoio daquele país no socorro e no resgate dos brasileiros atingidos pelo incêndio.

Incêndio

O incêndio ocorreu na Praça de Máquinas, onde ficam os geradores de energia. Cientistas que estavam na estação contam que os dois sargentos não conseguiram sair do local, destruído pelas chamas. O ferido conseguiu ser resgatado por colegas da Marinha e foi levado para a base polonesa de Arctowski, próxima à brasileira, para receber os primeiros socorros. Depois, seguiu para a base chilena Eduardo Frei. Em comunicado, a Marinha garante que a vítima não apresenta risco de morte.

Foto: AP

Funcionários foram retirados e levados para a base chilena, de onde seguirão para o Chile

Os 30 cientistas, um alpinista, um representante do Ministério do Meio Ambiente e 12 funcionários do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro foram levados ao amanhecer para a base chilena, de onde seguirão para o Chile, em Punta Arenas. Ficaram na estação apenas 12 militares da Marinha, que tentam combater o incêndio. A Marinha enviou um Navio-Polar para apoiar o trabalho dos militares. Além dele, dois navios da Marinha Argentina, dois botes da Estação polonesa e três helicópteros chilenos já estão no local do incêndio.

Já a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou uma aeronave, que seguiu para Punta Arenas, a fim de trazer ao Brasil as pessoas que estavam na Estação. Um Inquérito Policial Militar foi instaurado para apurar as causas do acidente.

Leia a nota oficial na íntegra

"O ministro da Defesa, Celso Amorim, recebeu há pouco do comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Júlio Soares de Moura Neto, a informação de que foram encontrados dois corpos na área atingida por um incêndio na Estação Comandante Ferraz. Há indícios de que sejam de dois militares desaparecidos, o suboficial Carlos Alberto Vieira Figueiredo e o sargento Roberto Lopes dos Santos. A Força Naval enviará uma equipe de peritos para identificá-los e confirmar os óbitos. O sargento Luciano Gomes Medeiros encontra-se internado em virtude de ferimentos".

Foto: Divulgação

A Estação Antártica Comandante Ferraz

Prejuízo científico

O programa antártico brasileiro não será encerrado e os planos de reconstrução começam na próxima segunda-feira, segundo Amorim. De acordo com o ministro, grande parte da estação foi destruída pelo incêndio e, com ela, muitos materiais e equipamentos dos 30 pesquisadores que realizavam trabalhos na ilha foram perdidos.

“Todo o núcleo central da base, que é onde estão concentradas essas instalações foi perdido. O grau exato do que aconteceu ainda precisa ser objeto de perícia, mas a avaliação é de que realmente perdeu-se praticamente tudo”, disse.

Segundo Amorim, ainda não é possível dizer quando a estação voltará a operar, mas os planos para sua reconstrução já começam na segunda-feira (27). “Claro que o momento é de dor. O principal fato é a perda de vidas. Mas, evidentemente, quero expressar nossa determinação em continuar esse trabalho, que é tão importante para o Brasil e para o mundo. Esse é um projeto de 30 anos de empenho da sociedade brasileira, que tem todo o apoio do governo e do Congresso brasileiro. O programa [antártico] é um motivo de orgulho para nós, de modo que vamos continuar”, disse o ministro.

Naufrágio

De acordo com a publicação deste sábado do jornal "O Estado de São Paulo", um embarcação usada para transporte de carga, que era rebocada pela Marinha, afundou em dezembro no litoral da Antártida com uma carga de 10 mil litros de óleo combustível.


Saiba mais: Brasil terá estação científica no interior da Antártida


Segundo o jornal, o produto não vazou, mas está a 40 metros de profundidade e a 900 metros da praia onde fica a Estação Antártica Comandante Ferraz. O naufrágio estaria sendo mantido em sigilo tanto pela Marinha quanto pelos ministérios que integram o Programa Antártico Brasileiro (Proantar) – Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Relações Exteriores e Minas e Energia e Defesa. Não houve vítimas no acidente.

(Com Agência Estado e Agência Brasil)


Fonte: IG/SP

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Aranha Viúva Negra













Créd. da Foto: Fiocruz




Nome científico:
Latrodectus curacaviensis
Nome comum: Viúva Negra

As viúvas-negras são aranhas muito conhecidas, tanto pelo fato de matarem os machos após o acasalamento como também pelo seu 'veneno fatal'. São pequenas, medindo cerca de três centímetros. Uma de suas principais características é um desenho avermelhado, na região inferior do abdome, em forma de ampulheta.

O veneno das viúvas-negras brasileiras é muito menos tóxico do que aqueles presentes nas espécies européias. No Brasil existem poucos casos considerados graves e muitas vezes estão associados à sensibilidade do picado. Seu veneno tem ação neurotóxico.

Isso significa que ao ser picado (a), a presa, ou pessoa terá afetado seu sistema nervoso central e locomotor, havendo a paralisação contínua de órgãos vitais, e, se não tratada, com soroterapia adequada, à consequente morte.



Fonte Fiocruz; com algumas informações técnicas, postadas pelo Biólogo Ambiental Carlos Simas.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Aranha Marrom.



















Imagem: FIOCRUZ


Nome científico: Loxosceles gaucho, L. laeta, L. intermedia
Nome comum: Aranha Marrom


É a aranha brasileira que possui veneno mais ativo. Tem uma coloração marrom esverdeada seu corpo total raramente ultrapassa os 3 centímetros. É uma espécie de aranha doméstica, encontrada em locais escuros e úmidos como quina de pias, rachaduras de parede, livros, telhas e tijolos empilhados. Possuem como característica a teia similar a um chumaço de algodão.

Muitas aranhas inofensivas se parecem e vivem nos mesmos locais da aranha marrom, mas, somente um especialista tem condição de fazer a distinção com segurança. Devido à sua fragilidade, seus acidentes ocorrem quando ela penetra dentro da roupa e, ao vestir, são pressionadas e picam.

Como sua picada não é muito dolorida muitas vezes a pessoa pensam tratar-se de alguma "farpa" presa à roupa e não dão muita importância. Seu veneno produz necrose no local da picada. É necessário soroterapia específica e acompanhamento médico.



Fonte: FIOCRUZ

















quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Aranha Caranguejeira Rosa Brasileira.









Imagem Fiocruz


Nome científico: Lasiodora parahybana

Nome comum: Brazilian Salmon Pink ,caranguejeira rosa brasileira

Esta é uma das maiores do Brasil; sua origem é o nordeste brasileiro. Seu comportamento é agressivo e não deve ser manipulada, chega a viver de 12 à 15 anos. Alimenta-se de grilos, gafanhotos, baratas, etc. Esta espécie é uma das maiores aranhas do mundo.



Artrópode da classe dos aracnídeos (ordem Araneida). Apresenta cores variadas, e, quanto ao tamanho, vai do quase invisível a olho nu até espécies de mais de 20 cm. Todas as aranhas são predadoras e sua dieta inclui de insetos tais como: moscas, mosquitos, grilos, gafanhotos, baratas etc.

Apesar de poucas aranhas possuírem a capacidade de intoxicar o homem, todas as aranhas são venenosas.

As aranhas se distinguem de outros aracnídeos por terem a cabeça e o tórax separados do abdômen por uma estreita cintura. Suas garras são usadas para segurar, picar e triturar a presa. A maioria das aranhas usa veneno para matar suas presas. Na ponta das garras ficam duas estruturas semelhantes a seringas, ocas e pontiagudas, usadas para picar o corpo da presa e injetar o veneno, que é produzido em glândulas especiais.

A maioria das aranhas têm 8 olhos. Algumas têm 6, 4 ou 2 olhos, ou mesmo nenhum. Algumas aranhas de caverna são cegas.

Seu aparelho respiratório funciona por meio de pulmões (pulmões foliares) e por traquéias. Existem aranhas que têm apenas pulmões e aranhas que têm apenas traquéias. A maioria tem ambos os tipos.

As aranhas possuem circulação de sangue em seu organismo. O coração situa-se na parte dorsal do abdômen.

É um animal que apresenta o esqueleto externo, conhecido como exoesqueleto, formado por uma substância chamada de quitina. (Proteina)

Os pelos das aranhas não causam somente arrepios aos que tem fobia só de olhar um animal com muitas patas. São elementos importantes e de vital importância em sua sobrevivência. Os pêlos funcionam como sensores de deslocamento de ar.

As aranhas possuem hábitos diurnos e noturnos. As espécies noturnas, onde estão as caranguejeiras, possuem a visão deficiente e não reconhecem pessoas como agressores. A agressividade existe quando um conjunto de situações informa ao animal que ele está vulnerável ali existe uma presa. Estas reações envolvem, principalmente, movimentos bruscos, deslocamentos repentinos de ar, qualquer situação que envolva manuseio, contenção ou captura.


Fonte: Fiocruz


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Alimentos Que Curam.








Créd. das Fotos: Yahoo


Estes alimentos incríveis reduzem o risco de arteriosclerose , baixam o colesterol , diminuem a pressão, reduzem as inflamações, neutralizam radicais livres nocivos, reduzem as chances de desenvolver síndrome metabólica, mantêm baixo e estável seu nível de açúcar no sangue e mantêm seu coração batendo em um ritmo saudável. Quer mais?

1 - Amêndoas torradas com a casca – Um punhado de amêndoas contém incríveis 9 g de gordura monoinsaturada, que ajuda a reduzir o colesterol ruim e aumentar o bom. Escolher amêndoas em vez de um bolo ou batatas fritas para dois lanches por dia pode reduzir o colesterol “ruim” em quase 10%. A vitamina E natural que existe na “polpa” da amêndoa, além dos flavonoides presentes na casca, ajudam a parar o crescimento da placa que entope as artérias. Mas não consuma demais, ou vai acumular calorias.

2 - Tomates frescos, secos ou molho – Comer sete ou mais porções por semana diminui em 30% o risco de doenças cardiovasculares, segundo um estudo feito com mais de 35 mil mulheres. De acordo com a pesquisa da Universidade de Oulu, na Finlândia, 30 g de ketchup e 400 ml de suco de tomate por dia diminuem em 13% o nível de colesterol “ruim” (LDL) depois de três semanas. Como? Pode ser o antioxidante licopeno ou os níveis altíssimos de vitamina C, fibra e potássio encontrados no tomate. Cozinhá-los por 30 minutos ou mais aumenta o nível de licopeno. E 15 g de tomates secos têm mais potássio, que faz a pressão arterial baixar, do que uma banana média.

3 - Abacates - Em um estudo do Instituto Mexicano del Seguro Social, homens e mulheres que comiam um abacate por dia reduziram o colesterol total em 17%. O nível de LDL e triglicerídeos nocivos caiu, e a taxa do bom HDL subiu graças, talvez, ao alto nível de gordura monoinsaturada “boa” do abacate. O fruto é ainda repleto de betassitosterol, que reduz o colesterol.

4 – Salmão - Entre os peixes ricos em ômega-3, o salmão é o rei. Uma porção contém cerca de 1,8 g de ácido eicosapentaenoico (EPA) e de ácido docosa-hexaenoico (DHA), ácidos graxos que ajudam a diminuir o risco de arritmias cardíacas fatais e reduzir o colesterol, a inflamação, a arteriosclerose e a formação de coágulos.

5 – Aveia - A betaglucana, fibra solúvel presente nos cereais, age como uma esponja, prendendo os ácidos biliares ricos em colesterol no intestino e os eliminando. O resultado são níveis baixos de LDL porque há menos colesterol para ser absorvido pela corrente sanguínea. Uma tigela grande de aveia por dia – cerca de 225 g – pode reduzir o colesterol em mais 2% ou 3%, sugere um estudo publicado no Journal of the American Medical Association.

(Fonte: Yahoo/ Guia de Saúde e Longevidade – Reader’s Digest)

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Aranha Theraphosa blondi.





Foto Fiocruz








Nome científico: Theraphosa Blondi
Nome comum: Goliath Bird Eater




Considerada a maior aranha do mundo, como o próprio nome diz, originaria da região amazônica do Brasil, Guiana, Suriname e Venezuela. Pode se alimentar de pequenos pássaros, roedores, lagartos, sapos, bem como de outras aranhas. É muito conhecida no meio de criadores, e também um grande alvo a ser atingido pelos mais entusiasmados.



Chegam facilmente a 25 centímetros, sendo que existem relatos de animais com até 40 cm.. Seus pêlos abdominais são extremamente irritantes e sua picada pode causar fortes náuseas. Esta espécie só deve ser manipulada por pessoas com experiência, pois ela tem um comportamento agressivo com veneno ativo no homem. Pode viver até os 10 anos.


Fonte Fiocruz