domingo, 13 de janeiro de 2013

Dengue, mais uma epidemia anunciada.






















Mais uma epidemia de Dengue anunciada. Agora, após mais de uma década, o tipo 4 da Dengue nos assombra, pois crianças e adolescentes que não foram afetados por ele estão totalmente vulneráveis e, portanto pode haver nova epidemia no Brasil.

E digo anunciada por quê?

Simplesmente porque desde que houve a descentralização e foi entregue este importantíssimo trabalho em saúde pública às prefeituras que a Dengue vem piorando e, é muito fácil de entender o motivo deste aumento: Este ano de 2012 o governo Federal vai repassar mais de 150.000.000,00 aos municípios e pasmem, nada ou quase nada os prefeitos e Secretários de Saúde precisam prestar contas desse dinheiro. 

Acho um verdadeiro absurdo de que nem mesmo um simples talão de notificação o agente receba para dar ciência por escrito ao morador quando encontra sucessivas vezes durante anos a mesma água parada, depósitos espalhados pelo quintal e caixas dágua destampadas ou com tampas quebradas, o que é muito comum en todos Brasil. 

Assim, como mostra a matéria logo abaixo, fica muito difícil vencer a Dengue....   



 




A palavra dengue tem origem espanhola e significa "melindre", "manha". O nome indica o estado de moleza e prostração em que fica a pessoa, quando infectada pelo arbovírus (abreviatura do inglês de arthropod-bornvirus, para vírus proveniente dos artrópodos).

O dengue é uma doença infecciosa causada pela picada da fêmea do Aedes aegipty, que transmite um arbovírus (existem quatro tipos diferentes de vírus do dengue: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4), que ocorre principalmente em áreas tropicais e subtropicais do mundo, inclusive no Brasil. 

As epidemias geralmente ocorrem no verão, durante ou imediatamente após o período chuvoso.

O dengue clássico, ou comum se inicia de maneira súbita e podem ocorrer febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores nas costas. Às vezes aparecem manchas vermelhas ou icterícia no corpo. A febre costuma durar cerca de cinco dias com melhora progressiva dos sintomas em aproximadamente 10 dias. Em alguns pacientes podem ocorrer fracas hemorragias, ou sangramentos no  nariz, boca, e até pela na urina . 




Dengue hemorrágico

Dengue hemorrágico é uma forma grave de dengue. No início os sintomas são iguais ao dengue clássico, mas após o 5º dia da doença alguns pacientes começam a apresentar sangramento e choque. 

Os sangramentos ocorrem em vários órgãos. Este tipo de dengue pode levar a pessoa à morte. Dengue hemorrágico necessita sempre de avaliação médica de modo que uma unidade de saúde deve sempre ser procurada pelo paciente.

Dengue Tipo 4

O avanço do vírus tipo 4 da dengue pelo Brasil é uma ameaça à saúde pública. Não pelo vírus em si, que não é mais nem menos perigoso que os tipos 1, 2 e 3, mas pela entrada em ação de mais uma variação do vírus.

Existem quatro tipos do vírus da dengue: O DEN-1, o DEN-2, o DEN-3 e o DEN-4. “Causam os mesmos sintomas. A diferença é que, cada vez que você pega um tipo do vírus, não pode mais ser infectado por ele. 

Ou seja, na vida, a pessoa só pode ter dengue quatro vezes”, explica o consultor de dengue da Organização Mundial da Saúde (OMS), Ivo Castelo Branco.

“Em termos de classificação, estamos falando do mesmo tipo de vírus, com quatro variações”, explica Marcelo Litvoc, infectologista do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

 “Do ponto de vista clínico, são absolutamente iguais, vão gerar o mesmo quadro”, esclarece o médico.

A explicação do problema provocado pelo vírus 4 está no sistema imunológico do corpo humano. 

Quem já teve dengue causada por um tipo do vírus não registra um novo episódio da doença com o mesmo tipo. 

Ou seja, quem já teve dengue do tipo 1 só pode ter novamente Dengue se ela for causada pelos tipos 2, 3 ou 4.

“Quanto mais vírus existirem, maior a probabilidade de haver uma infecção”. Se houvesse só um tipo de vírus, ninguém poderia ter dengue duas vezes na vida.

A possibilidade da reincidência da doença é preocupante. Caso ocorra um segundo episódio da dengue, os sintomas se manifestam com mais severidade. 

“Existe certa sensibilização do sistema imunológico e ele dá uma resposta exacerbada”, afirma Litvoc.

Esta reação exagerada do sistema imunológico é um problema. Pode causar inflamações, sobretudo no fígado, que fica super infeccionado e, por isso, aumenta o risco de lesões nos vasos sanguíneos, o que levaria à dengue hemorrágica. 

Um terceiro episódio poderia ser ainda mais grave, e um quarto seria mais perigoso que o terceiro.

Ou seja, apesar da crença de muitos de que um “vírus específico hemorrágico”, isso não existe, o que ocorre na realidade é a sensibilização do organismo a cada nova infecção por tipo diferente de vírus da Dengue, o que fatalmente leva o paciente ao quadro hemorrágico.

Causa

A infecção pelo vírus, transmitido pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti, uma espécie hematófaga originária da África que chegou ao continente americano na época da colonização. 

Não há transmissão pelo contato de um doente ou suas secreções com uma pessoa sadia, nem fontes de água ou alimento.


Tratamento

Não existe tratamento específico para dengue, apenas tratamentos que aliviam os sintomas.
Deve-se ingerir muito líquido como água, sucos, chás, soros caseiros, etc. 

Os sintomas podem ser tratados com dipirona ou paracetamol, porém sempre com a devida indicação médica, não devem ser usados medicamentos à base de ácido acetil salicílico e antiinflamatórios, como aspirina e AAS, pois podem aumentar o risco de hemorragias.


Nenhum comentário: