domingo, 26 de maio de 2013

Búzios, o novo privadão da Região dos Lagos-Rj.








Créd. da Foto: Confraria Caiques de Unamar




No dia 18 de Abril de 2013 o governador Sergio Cabral enviou à Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro o PROJETO DE LEI Nº 2158/2013 que autoriza o Estado a disponibilizar verba no montante de R$ 11.500.000,00 (onze milhões e quinhentos mil reais) para a Prolagos fazer a transposição dos esgotos dos municípios de Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia e da Lagoa de Araruama para o Rio UNA.


Pelo menos a princípio é um projeto muito controvertido e que precisa ser amplamente discutido com as populações que serão diretamente atingidas, pois se sabe que o tratamento de esgoto da Prolagos é o modelo chamado “a tempo seco”, modelo este que todos os países chamados civilizados rejeitam veementemente.


Cabe pelo menos de forma bastante resumida explicar que neste modelo de tratamento o esgoto in natura é tratado parcialmente em dias chuvosos, como você mesmo pode confirmar no Site da Prolagos abaixo. A pergunta, o que é este tipo de tratamento (a tempo seco) eles tentam responder e reproduzimos na íntegra logo abaixo.




“O que é o sistema de "tomada a tempo seco" na coleta do esgoto?
O sistema de “coleta a tempo seco” consiste na interceptação do esgoto presente nas galerias da rede pluvial, evitando que o mesmo seja despejado in natura no meio ambiente. Cabe à Prolagos a instalação de coletor-tronco (interceptores, recalques), caixas coletoras e construção de Estações Elevatórias, que transportam o esgoto às Estações de Tratamento (ETE) da concessionária. O sistema passou a vigorar em 2002.


As Estações de Tratamento de Esgoto funcionam 24horas ininterruptamente. Mas quando chove muito e por um período prolongado, as comportas são abertas evitando inundações. O sistema de abertura das comportas é automatizado e só abre quando a água represada atinge um nível pré-estabelecido junto às autoridades, ONG's e órgãos ambientais.
Quando isso acontece, o esgoto já está suficientemente diluído pela água de chuva”.


Ou seja, de acordo com a própria Prolagos quando chove muito e o nível do reservatório ameaça transbordar de forma automática é aberto e todo o esgoto é despejado. Só não explicam onde, porque não lhes interessa, mas dizem que há o aceite de que, absurdo gente, volte, por favor, e leia outra vez: De autoridades, ONG,s e pasmem, de Órgãos Ambientais. Isto está escrito no Site da Prolagos!


E, o mais absurdo, que este despejo não faria nenhum mal ao meio ambiente, pois “já estaria diluído”, como se a água de chuva pudesse “diluir microrganismos muito nocivos à saúde humana, presentes no esgoto, como fungos, protozoários vermes e principalmente a bactéria Escherichia coli, que pode causar forte diarréia e infecção urinária.


Agora sim, vamos ao que interessa, pois a partir da aprovação deste projeto, que tramita em regime de urgência na ALERJ, em tese todo o esgoto das cidades de Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia, Arraial do Cabo e o esgoto que acabou com a Lagoa (Laguna) de Araruama serão despejados no afluente do Rio UMA que deságua em Búzios, na praia da Rasa, próximo ao Mangue de Pedra.


Pelo projeto de Lei do Governador Sérgio Cabral, qual seria a contrapartida para Búzios? Aparentemente o saneamento da Lagoa (Laguna de Geribá) com a implantação de rede coletora de esgoto no Bairro e seu devido tratamento, que deve ser na Estação de Tratamento de Esgoto da Prolagos no Bairro de São José, que é feito “a tempo seco”.


Ou seja, parece até piada, de péssimo gosto, pois na justificativa do projeto de lei do Estado; é isso mesmo que diz, Búzios teria assim com este projeto, praias melhores, inclusive a de Manguinhos, uma das mais poluídas, segundo ele, voltaria a ter boa balneabilidade. Você pode e deve ler isso; é só clicar no link abaixo:




Há, no entanto vários contra-sensos neste projeto de Lei Estadual (PROJETO DE LEI Nº 2158/2013), pois de que adianta resolver o esgoto de apenas um bairro de Búzios com sua lagoa (Geribá) e concomitantemente despejar o esgoto de vários outros municípios numa praia de Búzios (Rasa)? É dito também que a Prolagos apesar de receber por isso R$ 11.500.000,00 (onze milhões e quinhentos mil reais) para fazer a transposição dos esgotos dos municípios de Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia e da Lagoa de Araruama para o Rio UMA não teria lucro. Você já viu Empresa “Privada” trabalhar sem lucro?


Em meio a todo este imbróglio, uma coisa devemos admitir: A Prolagos é muito "sincera" quando diz que conta com o apoio de Autoridades, ONG,s e Órgãos Ambientais, inclusive os da Região dos Lagos, é claro, para jogar esgoto in natura aonde quiser. Tanto isso é verdade que o PROJETO DE LEI Nº 2158/2013 de autoria do Governo do Estado do Rio de Janeiro lhe autoriza a fazer isso, agora em Búzios-Rj e ainda brinda à sua vitória lhe presenteando com R$ 11.500.000,00 (onze milhões e quinhentos mil reais!


Portanto, caso não se consiga barrar essa loucura, Búzios corre sério e iminente risco de se tornar o novo (antes foi a Lagoa de Araruama) privadão da Região dos Lagos!


Evidente que nem todos coadunam com essa covardia contra a população de Búzios-Rj e quanto a nós estamos enviando queixa crime ao MP Federal e Estadual.










5 comentários:

Anônimo disse...

Sinceramente, tenho dificuldade de entender o que significa o tratamento de esgoto em tempo seco. Na indústria este sistema é utilizado para dimensionar o sistema de tratamento de efluentes onde existem duas correntes: a) sistema contaminado – destina-se a receber as águas de chuva e de lavagem de áreas EVENTUALMENTE contaminadas e que são conduzidas ao sistema de tratamento; b) sistema oleoso – destina-se a receber as águas de drenagem de equipamentos que estão permanentemente contaminadas de óleo ou de produtos químicos. Existem outros sistema independentes que não vem ao caso.
Como funciona – O sistema é dimensionado para tratar as duas correntes em tempo seco, ou seja, sem que haja chuva. Quando chove os sistemas acumula o excedente de água, em um reservatório, por um período de tempo, para posteriormente, com vazão controlada, tratar este excedente de efluente. Ultrapassado o tempo de acumulação estabelecido, entende-se que às ditas áreas EVENTUALMENTE contaminadas já foram lavadas e poderão a partir deste tempo ser desviadas para o corpo receptor. Nota-se que, - estamos falando apenas das águas advindas das áreas EVENTUALMENTE contaminadas. O efluente dito oleoso é 100% tratado.
No sistema de esgoto sanitário água de chuva deve ser segregada na fonte, ou seja, não devem ser encaminhadas ao sistema de tratamento de esgoto. Só posso entender o sistema de esgoto em tempo seco, como um sistema que acumula o excesso de efluentes em um reservatório nas horas de pico para, trata-los, gradativamente, nos horários de menor vazão de contribuição. A rigor deviria ser chamado de sistema de tratamento para vazão média diária. Caso diverso não compreendo.

Luiz Carlos Gomes da Silva disse...

Muito bom texto. Esclarecedor. Gostaria de republicá-lo no meu blog. Com os devidos créditos. Pode ser?

Carlos Simas disse...

Muito Obrigado Professor Luiz Carlos. Ficarei muito honrado com a republicação e, fique sempre à vontade.

Búzios precisa cada vez mais de pessoas assim, que estejam dispostas em lutar pelo coletivo, para que a cidade seja justa, boa e igualitária, para todos.

Um grande abraço!

Gevânia Namorato disse...

E aí, quais são as notícias sobre ? Vou aproveitar esse espaço e pedir ao senhor professor que me avise sobre cursos em áreas ambientais aí em Búzios ou na região dos lagos. Moro em Minas Gerais, trabalho na área ambiental e minha mãe mora aí em Búzios, portanto, estaria unido o útil ao agradável, entendeu ? Bem que poderia ter um curso aí ambiental em julho heim... Aguardo, obrigada.

Carlos Simas disse...

Olá Gevânia Namorato, inicialmente obrigado pelo comentário.

Em relação ao projeto 2158/13 do Governo Estadual que autoriza a Prolagos a transpor esgotos de vários outros municípios ao Rio UNA que tem sua foz na praia da Rasa em Búzios, encontra-se paralisado em virtude da forte manifestação contrária da sociedade organizada e entidades de proteção ao meio ambiente de Búzios como a RE-UNA. (entre outras).

Quanto aos cursos na área ambiental em Búzios que você propõe quem sabe o prefeito, Dr. André ou seus assessores, possam ver aqui este seu pedido e, quem sabe possam criar estes cursos, que só estimulariam ainda mais a consciência da preservação ambiental em nosso município, que é paradisíaco.

Um abraço e sucesso!