sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Febre chikungunya.





      Crédito da Foto: Agência Estado

História


A febre chikungunya é uma doença transmitida por vírus, o CHIKV  e, assim como a Dengue pode ser transmitida pela picada das fêmeas dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus, este último de difícil controle por ser espécie de Aedes que vive em ambiente silvestre.

O termo chikungunya vem de habitantes da África e significa “aqueles que se curvam”, em virtude da imensa dor causada nas articulações, sobretudo às dos pulsos e pés. Tem-se registro da primeira epidemia desta doença datada de 1952 na Tanzânia, contudo ela se alastrou nos últimos anos por vários países da Ásia e da Europa e mais recentemente vem preocupando o mundo.

A febre chikungunya entrou nas ilhas do Caribe e na Guiana Francesa, que faz fronteira com o Brasil no Estado do Amapá e chegou a vários estados em 2014. O Estado da Bahia é atualmente o mais afetado. Apesar de não ser tão letal quanto a Dengue, em relação às complicações, a febre de Chikungunia debilita sobremaneira as pessoas, podendo em alguns casos, segundo especialistas, causar dores intensas durante meses após os sintomas da febre.


Sintomas


Muito embora os vírus da febre chikungunya e da Dengue sejam biologicamente diferentes, ambas as doenças são transmitidas no Brasil pelos mesmos mosquitos e possuem sintomas parecidos.

Na fase mais crítica da chikungunya a febre aparece repentinamente, acompanhada de dor de cabeça, profundo mal estar, mialgia, que é a dor muscular, erupção na pele ou exantema, conjuntivite e forte dor nas articulações (Poliartrite), principalmente nos pés e pulsos, sendo esta a característica mais forte da doença. Essa dor é tão forte que pode paralisar os movimentos e perdurar por vários meses; felizmente não existe por hora a febre hemorrágica.

Diagnóstico


O diagnóstico depende de exames clínicos e exame de sangue em laboratório especializado. Fato é que todos os casos suspeitos de CHIKV devem ser notificados imediatamente às autoridades de saúde para confecção de mapa epidemiológico e providências. 

Tratamento


Na fase aguda o tratamento de febre chikungunya deve ser igual ao da Dengue, sintomático, com analgésicos e antitérmicos, prescritos por médico, não sendo recomendado ácido acetilsalicílico e, hidratação intensiva, que são fundamentais para a recuperação do paciente.

Passada a febre se continuar as fortes dores nas articulações, poderá ser administrado medicamentos antinflamatórios e fisioterapia.

Riscos


Toda a população brasileira é suscetível à febre chikungunia, por ser doença nova no Brasil e, portanto ainda não possuir anticorpos para o tipo específico de vírus CHIKV.




Controle


Como ainda não existe vacina contra a febre chikungunya e o principal vetor é o mesmo mosquito que transmite também a Dengue, o que deve ser feito é o devido controle do Aedes aegypti, tanto com medidas governamentais, quanto por parte da sociedade organizada.


Biólogo Carlos Simas

Especialista pela ABCVP/UFRJ em Controle de Pragas e Vetores

Nenhum comentário: