segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Pulgas: higienização do ambiente é a melhor forma de prevenção.




Crédito da Imagem: FIOCRUZ

As pulgas foram responsáveis por pandemias de peste bubônica que vitimaram cerca de 75 milhões de europeus no século XVI  


Atualmente consideradas pragas urbanas capazes de infestar animais domésticos e residências, as pulgas foram responsáveis por pandemias de peste bubônica que vitimaram cerca de 75 milhões de europeus no século XVI. Com uma boa capacidade de reprodução e rapidez de locomoção, estes minúsculos parasitos – que medem aproximadamente dois milímetros – ainda podem colocar em risco a saúde humana. O alerta é do pesquisador Nicolau Serra-Freire, do Laboratório de Diversidade Entomológica do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz). Em entrevista, o especialista reforça que a melhor maneira para prevenir a infestação por pulgas é a higienização adequada dos ambientes e o tratamento dos animais domésticos.

Referência nacional em vetores ápteros de riquétsias, o grupo que Serra-Freire integra é responsável pela Coleção de Artrópodes Vetores Ápteros de Importância na Saúde de Comunidades, que reúne mais de 18 mil espécies em um acervo representativo de todas as regiões do país e informações epidemiológicas e morfológicas de aproximadamente um século.
                    


A infestação por pulgas acontece com mais frequência em ambientes domiciliares onde vivem animais domésticos?

Não. Este pensamento não é verdadeiro. As pulgas estão presentes também em ambientes silvestres, nas tocas de ratos e de outros animais. É preciso chamar atenção que, nos domicílios, as pulgas encontradas nos animais domésticos correspondem a aproximadamente 5% do total presente. Animais como ratos e morcegos também podem levar pulgas para dentro de casa.

Quantas espécies de pulgas existem? Há diferença entre elas?

No Brasil, existem aproximadamente 20 espécies de pulgas e as diferenças são numerosas em ambiente urbano e periurbano. As pulgas de que mais ouvimos falar são as do cão e as do gato, porque estão no ambiente domiciliar. Estas vivem sobre o hospedeiro, por isso é mais fácil encontrá-las. Já a pulga do rato vive no ninho do roedor. Algumas espécies preferem sangue de mamíferos, outras de aves. Existem espécies de pulgas que penetram na pele e causam o que conhecemos como bicho-de-pé.


Então o bicho-de-pé é causado por pulga? ( espécie )


Sim, é causado por uma espécie de pulga ( Tunga penetrans ) que penetra na pele, não só no pé, mas também na orelha, nas costas e em outras partes do corpo. Além do homem, esta espécie de pulga também pode parasitar cães e porcos.


Quais são as condições favoráveis para que as pulgas se reproduzam? Como prevenir a infestação?

O ideal para que as pulgas se reproduzam é a temperatura entre 25 e 35ºC e a umidade entre 70 a 90%. Elas não suportam temperaturas muito altas nem muito baixas. A melhor maneira para evitar que elas colonizem o ambiente é mantê-lo limpo, varrer sempre, usar aspirador de pó, deixar entrar sol e vento. Se existem animais dentro de casa, é importante tratá-los e dar banho frequentemente.  

E depois que a infestação já existe, como reverter a situação ( controle )?

Nesse caso, é preciso descobrir onde elas se escondem, onde estão fazendo a postura dos ovos, que pode ser na fresta de um taco, em uma sanca, em um rodapé, atrás de um móvel ou naquele sofá-cama que só é aberto uma vez por ano, quando as visitas chegam. Se existe infestação, o melhor ainda é o uso de inseticida. Elas ainda são muito sensíveis à eles. 

Uma das medidas recomendadas é colocar no ambiente uma bacia com água e detergente, agitar para fazer espuma e colocar uma luz forte acima da bacia. As pulgas serão atraídas pela luz refletida na água e acabam pulando para dentro da bacia e morrendo.

É verdade que as larvas se alimentam de restos orgânicos e de sangue de pulgas adultas?

Este é um sistema muito eficiente que as pulgas têm. A fêmea e o macho se alimentam de sangue e defecam. Nas fezes existem resto de sangue, mas também marcadores para agregação, que fazem com que elas permaneçam juntas. As larvas não se dispersam porque ali existe fonte de alimento e hormônio de marcação para que permaneçam naquele local, que é seguro. Isto acaba sendo um beneficio para quem está limpando, porque durante a limpeza e possível remover todas as larvas e impedir o surgimento de novos adultos.

Quais são as principais doenças que as pulgas podem transmitir?

A doença mais conhecida que envolve pulgas na transmissão do agente etiológico é a peste bubônica, que evoluiu para a peste negra. Esta doença, causada por uma bactéria que pode ser transmitida durante um período específico da vida das pulgas, vitimou milhares de pessoas no século XVI na Europa e exige vigilância constante. 

Hoje, no Brasil, há uma preocupação com as doenças por Rickettsia – que é um gênero de pequenas bactérias -, transmitidas por algumas espécies de pulgas, inclusive algumas que parasitam cães e gatos. Também existem pessoas que desenvolvem a dermatite alérgica a  pulgas, antes só descrita por veterinários em cães. 

Hoje já se sabe que pode acontecer em gatos, suínos, bovinos e humanos. Trata-se de uma irritação na pele, consequência de uma resposta imunológica do organismo à picada ou à simples presença da pulga no local.

Em média, quanto tempo vive a pulga adulta? E como elas se locomovem?

Algumas espécies vivem até seis meses em jejum, outras não resistem tanto. As espécies que penetram na pele vivem cerca de 10 meses antes da penetração. Depois, têm, no máximo, três semanas de vida.  Elas saltam muito bem. Podem pular até um metro para o alto e na horizontal podem saltar até 50 centímetros.

Como é feita a postura de ovos? Quantos ovos em média uma fêmea deposita durante sua vida?

Todas as espécies procuram fazer a postura fora do hospedeiro. As pulgas do cão, por exemplo, descem do hospedeiro só para fazer a postura. O número de ovos varia entre as espécies, mas pode-se considerar como média, que durante a vida uma pulga fêmea adulta deposita 400 a 500 ovos, em postura parcelada em dias sucessivos.

Em relação a pulgas de ratos, quais cuidados devem ser tomados?

Não basta só usar raticida, porque vai matar o rato e não sua pulga, que está no ninho esperando que ele volte. Se ele não voltar, as pulgas saem do ninho do rato para buscar alimento no homem, sua segunda opção de hospedeiro. Então, além de eliminar o rato, é preciso procurar seu ninho e fazer uma limpeza no local.

FONTE DO ARTIGO: FIOCRUZ


NOSSA OPINIÃO:

O controle de pragas urbanas, incluindo por óbvio as pulgas, ocorre por prevenção, que significa processos,  higiênico, mecânico e em última análise, químico.

Também, no caso concreto, deve-se buscar sempre o acompanhamento veterinário para o controle de pulgas em animais domésticos. Nunca faça auto-aplicações de produtos químicos, pois há grande risco de intoxicação, sobretudo da intoxicação crônica, que é a mais relevante.


Biólogo Ambiental Carlos Simas




Gostou deste artigo? Então divulgue nas Redes Sociais

Curta nossa Fan Page no Facebook:


https://www.facebook.com/www.biologocarlossimas?ref=bookmarks

Nenhum comentário: